Eles são a eminência parda da aviação. Eles estão fazendo o que devem fazer sem barulho. Quase não percebemos a existência deles quando voamos de A para B. No entanto, aeronaves de carga podem ser tão interessantes e especiais quanto aviões de combate ou passageiros. E agora vamos provar isso.

Comparamos as seguintes maravilhas das aeronaves de transporte seguindo essa estrutura: Nome – País de origem – Uso primário – Primeiro Voo – Peso quando vazio – Carga útil – Especialidade/Curiosidade.


USS Macon (ZRS-5) – Estados Unidos – dirigível rígido, porta-aviões voador (lançava caças biplanos da sua armação externa) – 1933 – motores de combustão interna 8 x 420 kW (560hp) – 108.000 kg – 72.000 kg – O USS Macon e o USS Akron (ZRS-4) estavam entre os maiores objetos voadores já construídos.

original

Foto: U.S. Naval Historical Center


Martin JRM Mars – Estados Unidos – hidroavião transportador de carga – 1942 – motores radiais Wright R-3350-24WA Duplex Cyclone 18 cilindros – 34.279 kg – 15.000 kg – Considerado o maior barco voador dos Aliados, e apenas sete deles foram construídos.

original (1)

Foto: Naval Air Station Jacksonville/Wikimedia Commons


Messerschmitt Me 323 Gigant – Alemanha – transporte militar pesado – 1942 – 6 motores radiais de duas colunas resfriados a ar 14N-48/49 – 27.330 kg – 12.000 kg – Foi a maior aeronave de transporte terrestre na Segunda Guerra Mundial.

original (2)

Foto: San Diego Air & Space Museum


Hughes H-4 Hercules – Estados Unidos – transporte de aeronaves pesadas (apenas um protótipo construído) – 1947 – 8 motores radiais Pratt & Whitney R-4360 Wasp Major – peso carregado 180.000 kg – O maior barco voador já feito e tem a maior envergadura de asa da história.

original (3)

Foto: San Diego Air & Space Museum


Mil Mi-6 – União Soviética – helicóptero de transporte pesado – 1957 – 2 motores turboshaft Soloviev D-25V – 27.240 kg – 12.000 kg – Ele era o maior e mais rápido helicóptero do mundo quando foi apresentado.

original (4)

Imagens via: Repülés, 1966. július / Utak és járművek, Magyar-Szovjet Baráti Társaság, 1975


Antonov An-12 – União Soviética – aeronave de transporte civil e militar – 1957 – 4 turbo-hélice Progress AI20L ou AI20M – 28.000 kg – 20.000 kg – Mais de 900 foram construídos, tanto em versões militar quanto civil.

original (5)

Foto: Björn Strey


Canadair CL-44 – Canadá – aeronave de carga – 1959 – 4 turbo-hélice Rolls-Royce Tyne 515/50 – 40.348 kg – 29.959 kg – Design de fuselagem inovador.

original (6)

Imagem: Repülés, 1964. február


Armstrong Whitworth AW.660 Argosy – Reino Unido – aeronave de carga e transporte militar – 1959 – 4 turbo-hélice Rolls-Royce Dart RDa.8 Mk 101 – 25.401 kg – 13.150 kg – Sua estrutura incomum rendeu a ele o apelido “O carrinho de mão assobiador”

original (7)

Imagem: Flieger-Jahrbuch, 1965. Transpress Veb Verlag Für Verkehrswesen Berlin, 1964.


Mil Mi-10 – União Soviética – transporte militar pesado – 1960 – 2 turboshaft Soloviev D-25V – 27.100 kg – 3.000 kg internamente ou até 15.000 kg em uma plataforma – Um helicóptero de transporte com configuração de um guindaste voador.

original (8)

Fonte: Utak és járművek, Magyar-Szovjet Baráti Társaság, 1975


Aero Spacelines B-377PG – Estados Unidos- transporte de carga – 1963 – 4 motores radiais Pratt & Whitney R-4360-59  - 41.275 kg – 22.670 kg – Esta aeronave foi construída para transportar cargas enormes do programa Apollo da NASA, principalmente pedaços dos foguetes Saturn 5.

Guppy

Foto: NASA


Sikorsky CH-54 Tarhe – Estados Unidos- helicóptero de carga – 1962 – 2 motores turboshaft Pratt & Whitney T73-P-700 – 8.980 kg – 9.072 kg – Um guindaste aéreo muito bem sucedido usado na Guerra do Vietnã.

original (10)

Foto: U.S. Defense Imagery/Wikimedia Commons


Antonov An-22- União Soviética – aeronave de transporte militar – 1965 – 4 motores turbo-hélice Kuznetsov NK-12MA – 114,000 kg – 80,000 kg – O maior avião turbo-hélice do mundo.

original (12)

Bônus: carregando um ônibus

original (11)

Imagens: Repülés, 1965. augusztus


Mil V-12 – União Soviética – helicóptero de transporte pesado – 1968 – 4 motores turboshaft Soloviev D-25VF – 69,100 kg – 40,000 kg – O maior helicóptero da história, e apenas dois protótipos foram construídos.

original (13)

Fonte da imagem: Utak és járművek, Magyar-Szovjet Baráti Társaság, 1975


Lockheed C-5 Galaxy – Estados Unidos – transportador estratégico das Forças Aéreas – 1968 – 4 turbofan General Electric TF39-GE-1C – 172,370 kg – 122,470 kg – Uma das maiores aeronaves do mundo para transportar veículos e equipamentos.

original (14)

Foto: Senior Airman Perry Aston/U.S. Air Force


Ilyushin Il-76 – União Soviética- uso militar estratégico – 1971 – 4 turbofans Aviadvigatel PS-90-76 – 92,500 kg – 60,000 kg – Foi modificado para abastecer outras aeronaves no ar, para lançar bombas na água e simular treinamento sem peso para cosmonautas.

Russia Victory Day

Foto: Alexander Zemlianichenko/AP


A-90 Orlyonok – União soviética – ecranoplano – 1972 – 2 turbofans Kuznetsov NK-8-4K, 1 turbo-hélice Kuznetsov NK-12MK – N/D – 28,000 kg – Ele usa o efeito solo para voar alguns metros acima da superfície. É um ecranoplano class B que pode atingir altitudes de 3.000.

RUSSIA NAVY

Foto: Ivan Sekretarev/AP


Mil Mi-26 – União Soviética – helicóptero de transporte pesado – 1977 – 2 × turboshafts Lotarev D-136– 28,200 kg – 24,000 kg – O helicóptero de produção maior e mais potente do mundo.

Russia  Chechnya Breakaway  1994   Russian Troops  POW

Foto: AP//Dmitry Lovetsky/AP


Transportador de ônibus espacial Boeing 747-100 – Estados Unidos – dois aviões modificados usados pela NASA para transportar Ônibus Espaciais – 1977 – 4 turbofans P&W JT9D-7J – 144,200 kg – 68,585 kg – Davam carona às naves espaciais.

original (18)

Photo: cartão postal alemão, 1983.


Myasishchev VM-T Atlant – União Soviética – transporte estratégico – 1981 – 4 turbojatos RKBM/Koliesov VD-7MD  – 75,740 kg – 50,000 kg. Ele foi projetado para carregar foguetes do programa espacial soviético.

original (19)

Foto: buran.ru


Antonov An-124 Ruslan – União Soviética – transporte estratégico – 1982 – 4 turbofans Ivchenko Progress D-18T  – 175,000 kg – 150,000 kg – A maior aeronave militar do mundo.

Bombardier Production Line

Foto: Bombardier Transportation/Getty Images


Antonov An-225 Mriya – União Soviética – transporte estratégico de carga – 1988 – 6 turbofans ZMKB Progress D-18 – 285,000 kg – 253,820 kg – O maior e mais pesado do mundo, carregou a nave espacial Buran do programa espacial soviético.

MRIA CARRIES SOVIET BURAN

Foto: Michel Lipchitz/AP


Boeing C-17 Globemaster III – Estados Unidos – uso estratégico e tático – 1991 – 4 turbofans Pratt & Whitney F117-PW-100 – 128,100 kg – 77,519 kg – Ele é usado para transportar a limusine presidencial.

original (22)

Foto: Staff Sgt. Jonathan Snyder/U.S. Air Force


Antonov An-70 – Ucrânia – transporte de aeronaves de médio alcance – 1994 – 4 propfans Progress D-27 – 66,230 kg – 47,000 kg – A primeira aeronave grande a usar motor propfan.

UKRAINE AN-70

Foto: Efrem Lukatsky/AP


Airbus Beluga – França (com Alemanha, Reino Unido e Espanha – avião de transporte de mercadorias de grandes dimensões – 1994 – 2 turbofans GE CF6-80C2A8 – 86,000 kg – 47,000 kg – É basicamente um Airbus A300-600 modificado para carregar partes de aviões e outras cargas de grandes dimensões.

Wings Are Loaded Into Beluga Aircraft Ahead Of Tanker Aircraft Assembly

Foto: Christopher Furlong/Getty Images


Boeing 747 Large Cargo Freighter (LCF) ou Dreamlifter – Estados Unidos – aeronave de carga – 2006 – 4 turbofans Pratt & Whitney 4062747 – 180,530 kg – N/D – Usado exclusivamente para transportar peças para fábricas da Boeing ao redor do mundo.

Dreamlifter 747 Cargo Plane Lands At Wrong Airport

Foto: Brett Deering/Getty Images


Boeing 747-8F – Estados Unidos – avião cargueiro – 2010 – 4 turbofans GEnx-2B67 – 195,800 kg – 140,000 kg – O segundo maior jato de carga após o Mrya.

original (26)

Foto: Boeing Dreamscape/Wikimedia Commons

Imagem de destaque: o Super Guppy, da NASA. Esta aeronave carrega objetos superdimensionados e está em ação desde agosto de 1965. Tech. Sgt. Christine Jones/U.S. Air Force