Dentre as novidades, o destaque fica para o Galaxy Ace, um provável concorrente do Motorola Defy, aparelho de médio custo que vem fazendo bastante sucesso pela boa relação custo/benefício. O Ace tem tela de 3,5 polegadas, Android na versão 2.2, câmera de 5MP e processador de 800MHz. Na Claro, ele custa R$1.049, desbloqueado, mas seu preço sugerido é R$899. A operadora, inclusive, é uma das que mais aposta nos novos membros da família, que incluem ainda o Galaxy Fit (voltado para esportistas com preço sugerido de R$749), o Galaxy Mini (modelo de baixo custo; R$659) e o Galaxy Pro (com teclado QWERTY e tela diminuta; R$799) — todos com Android.

Com a árvore abarrotada, antigos aparelhos começam a sofrer cortes consideráveis. O Galaxy S II chegou com preço sugerido de R$1.999 — é alto, mas menos do que os R$2.399 anunciados em seu antecessor. Agora, o Galaxy S, que continua sendo um belo smartphone, começa a sofrer queda de preço. É possível encontrá-lo, desbloqueado, por cerca de R$1.400 em lojas de varejo confiáveis — e, provavelmente com uma boa lábia, é possível levá-lo por menos ainda dentro das operadoras.

Mas o desconto mais atraente é o do Galaxy 5, aparelho de entrada com Android que já pode ser encontrado por até R$350 — o aparelho já é relativamente datado, com processador de 600MHz e Android 2.1, mas há dumbphones mais caros do que isso. No resumo: a Samsung acredita, e muito, no Android e quer colocar um smartphone em cada segmento. Se todos caberão na foto de família no fim do ano? Não temos certeza, já que ainda teremos pelo menos três tablets na festa. Se você terá (ou já tem) um aparelho com este sobrenome? Só você pode responder abaixo, nos comentários.