A polícia de Tempe, no Arizona, liberou o vídeo do primeiro acidente fatal envolvendo um carro autônomo e pedestre. No último domingo (18), uma mulher foi atropelada por um veículo de teste do Uber e morreu horas depois de ser levada ao hospital. As cenas mostram os momentos antes da colisão e a reação da motorista de segurança – que está ali para assumir o controle em situações de emergência.

• Análise primária da polícia diz que carro autônomo do Uber não teve culpa em acidente fatal
• Carro do Uber é o primeiro veículo autônomo a causar a morte de uma pessoa

As primeiras declarações da chefe da polícia do Arizona, Sylvia Moir, afirmavam que o sistema autônomo não foi o culpado. Segundo ela, a colisão seria difícil de se evitar “com um sistema autônomo ou com a direção humana”. Agora, temos imagens para entender melhor como o acidente aconteceu.

Aviso: o vídeo abaixo contém cenas fortes

Segundo as informações reveladas pelas autoridades, o carro estava a 61 km/h em uma zona com limite de velocidade de 55 km/h e não houve tentativa de frear. Há controvérsias, no entanto, sobre a velocidade permitida na via: o Verge aponta que imagens do Google Street View de julho deste ano mostram placas que indicam limite de 70 km/h. A vítima, Elaine Herzberg, de 49 anos, estava atravessando a estrada fora da faixa de pedestres quando foi atingida.

O vídeo mostra que Herzberg aparece na linha de visão – carregando uma bicicleta enquanto atravessa uma via de mão dupla – cerca de dois segundos antes da colisão. Nas cenas do interior do veículo a motorista Rafaela Vasquez, 44, olha repetidamente para baixo e pela janela do carro. Dos sete segundos antes da colisão, em seis Vasquez não está olhando para a via.

Bryan Walker Smith, professor de direito da Universidade da Carolina do Sul que estuda carros autônomos, disse ao Jalopnik que a cena não mostra “o contexto completo”, mas “sugere fortemente uma falha no sistema de direção autônoma do Uber e uma falta de cuidado da motorista de segurança (e da vítima)”. Para ele, o radar do veículo deveria ter detectado Herzberg na via.

Em um comunicado, um porta-voz do Uber disse que o vídeo era “perturbador e desolador de se assistir” e que “os sentimentos estavam com os entes queridos de Elaine”. O programa de testes de carros autônomos do Uber permanece suspenso e a companhia afirma estar colaborando com as investigações.

Além da polícia de Tempe, investigadores da NTSB (National Transportation Safety Board), órgão de transporte dos EUA, e da NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), órgão de segurança no trânsito dos EUA, estão apurando o caso. São essas entidades que baterão o martelo sobre a continuidade do programa de veículos autônomos do Uber.

[Jalopnik]