Eis que os escandinavos chegaram, seus dados em riste, e subitamente houve júbilo para todos aqueles dispositivos de comunicação que pressionamos todos os dias contra nossas orelhas, pois eles novamente foram considerados seguros.

Eu digo "novamente" porque eu sinceramente não sei quantas   pesquisas com quantos resultados diferentes já foram publicadas sobre este assunto.

Será que os celulares foram seguros durante todo esse tempo, como estes dados reforçam? Ou será que certa mesmo estava a última pesquisa assuntadora, que nos fez prometer que usaríamos menos os nossos celulares por cinco minutos, até percebermos que não conseguimos viver sem eles? Eu não sei, nem meu esperma.

De todo modo, esse último estudo cai firmemente na categoria "seguro". Que bom. Até porque é um estudo e tanto. Executado pela Sociedade do Câncer Dinamarquesa e publicado no Journal of The National Cancer Institute, o relatório final detalha as taxas de câncer na Dinamarca pelos últimos 30 anos. Os resultados? Os pesquisadores não encontraram nenhuma "mudança clara na incidência de tumores cerebrais em longo prazo". Houve um pequeno aumento np número de diagnósticos de glioma desde os anos 70, eles notam, mas ele pode ter sido causado por diversos fatores que nada têm a ver com os celulares.

Independente de qualquer pesquisa ou resultado, o que eu acredito é o seguinte: você jamais me verá usando um headset bluetooth. Não precisamos de mais dados relacionados a isso. Vejo vocês mês que vem, quando os celulares estiverem fazendo mal de novo! [CrunchGear]