Hoje saí na rua e caminhei até uma livraria local. Observei pela vitrine um livro que gostaria de comprar, tirei meu smartphone do bolso, apontei para a capa e, depois de alguns segundos, fiz um pedido. Economize US$ 7. E ele será entregue para mim ainda nesta semana. Foi simples, fácil e rápido. Este é o Amazon Flow.

O app da Amazon para iOS vai ganhar uma enorme reformulação que pode fazer com que seus usuários sejam aquelas pessoas que só fazem compras pelo smartphone, mesmo aqueles que sempre resistiram a essa preguiça futurista.

O app da Amazon nunca foi complicado de se usar. Nos países em que a Amazon vende de tudo (o que, infelizmente, não é o caso do Brasil), ele é o melhor e mais rápido jeito de comprar alguma coisa quando você está longe de um computador, o que é inevitável quando você lembra que realmente precisa comprar algo. Como sobrevivemos até hoje sem comprar canetas e fraldas enquanto curtíamos uma cerveja no bar? O app da Amazon sempre foi muito bem nesse ponto.

Mas uma nova ferramenta do app para iOS, chamada Flow, vai permitir buscar itens na Amazon ao simplesmente apontar o smartphone para eles. O app já contava com busca visual – isso desde 2009 – mas esta nova versão é ainda mais completa. Até agora, você poderia escanear o código de barras de um item que gostaria de comprar, ou tirar uma foto dele para fazer uma busca pelo banco de dados de imagens da Amazon – contanto que fosse um livro, DVD, CD ou jogo de videogame. O scanner funcionava bem, mas as fotos nem sempre saiam boas e às vezes não eram reconhecidas. Tentei em vão usar os recursos para alguns livros, mas sempre foi mais fácil apostar no código de barras do que nas fotos.

O Flow é uma reformulação completa da ferramenta de fotos, e funciona tão bem que eu queria sair escaneando tudo o que via na vida e adicionar a uma lista de possíveis compras futuras. Quando você ativa o recurso, o Flow transforma a câmera do iPhone em um daqueles scanners que você está acostumado a ver em lojas de departamento, só que, em vez do código de barras, ele detecta objetos do mundo real que podem ser parecidos com produtos dentro de um banco de dados da Amazon. Funciona como mágica, e basicamente registra instantaneamente não apenas livros e DVDs, mas também detergente, biscoitos caninos e outros itens domésticos em questão de segundos. Está sempre ligado, então você só precisa andar até uma vitrine para escanear os objetos.

De acordo com o vice-presidente de vendas da Amazon, Sam Hall, o objetivo é fazer tudo o que a Amazon vende consultável desta forma, mas, por enquanto, o Flow funciona melhor com coisas que estão em pacotes. (Na minha experiência, só funcionou com coisas em pacotes, e funciona melhor com items com tipografia grande e forte). Hall não quis falar muito sobre a tecnologia proprietária de reconhecimento de imagem, mas não é nada especialmente novo. Se você sabe como a imagem de modelo de um item se parece, é fácil usar a câmera para reconhecer outras imagens parecidas. É como as câmeras fazem para focar em rostos, como o Facebook reconhece seus amigos, e como robôs tentam passar por cima de códigos CAPTCHA.

De fato, a IBM apresentou uma tecnologia bem parecida com o Amazon Flow no ano passado. Na demonstração da IBM, o que vimos foi uma experiência bem comum de realidade aumentada que reconhecia o mundo ao nosso redor, e nos dava mais informações, neste caso, identificando objetos em prateleiras de supermercado e mostrando informações nutricionais.

De acordo com Hall, da Amazon, no entanto, o propósito do Flow não é de mudar as experiências em lojas, e sim tornar mais fácil a reposição de itens que você sempre compra. Então quando você ficar sem pasta de dente, saco de lixo ou papel higiênico, basta escanear uma embalagem pelo smartphone. A ideia é fazer as compras direto do seu quarto, e não transformar todas as lojas ao seu redor em showroons não-oficiais da Amazon. Mas não há dúvidas de que você vai querer usar para os dois casos.

Para voltar à minha experiência em uma livraria, eu fiquei surpreso que nem Amazon e nem a IBM querem usar a realidade aumentada para oferecer descontos. Por que eu compraria pessoalmente um livro por US$ 18 se eu poderia recebê-lo em casa por US$ 11? Já havia feito a comparação de preços usando meu smartphone, e o Flow facilitou esse processo.

Por fim, devo mencionar que isso provavelmente vai prejudicar os pequenos negócios locais. A Amazon é uma empresa gigante que frequentemente é acusada de esmagar pequenos empreendimentos, e os representantes da empresa foram cuidadosos ao dar explicações em relação às implicações da tecnologia para negócios locais como livrarias, ou mercadinhos, que visitamos quando temos tempo livre mas nem sempre compramos algo. Mas a Amazon está no negócio de vender coisas, não manter pequenas empresas abertas. Se você não concorda com isso – e muitos não concordam! – a melhor coisa que pode fazer em relação a isso é continuar comprando na livraria do seu bairro.

O cenário mais provável é uma combinação entre caça a barganhas e o uso conveniente de uma tecnologia. Vou usar o Flow para escanear objetos e comparar preços? Claro que sim. Mas também vou usar para comprar lâminas de barbear quando perceber que elas estão acabando. E eu que pensava que não poderia usar a Amazon para mais nada.

Infelizmente, como notamos mais acima, a experiência completa depende do que a Amazon oferece dentro do país. No Brasil, ela ainda é bem limitada – o Flow não funcionará por aqui como em outras partes do mundo.

Vídeo por Nick Stango