O Google anunciou que o chefe do Android, Andy Rubin, está deixando o cargo e será substituído por Sundar Pichai. Pichai é o atual vice-presidente do Chrome e Apps. Esta é uma mudança monumental.

Rubin estava no Google desde que o Android foi comprado em 2005. Nós não sabemos o que ele fará agora, mas o comunicado do Google, assinado pelo CEO Larry Page, diz “Andy decidiu que é hora de entregar seu reino e iniciar um novo capítulo no Google.” Isso pode significar que Rubin vai trabalhar em um novo projeto – o Glass é a especulação natural no momento, mas totalmente infundada – e ele continuará como um grande cérebro em Mountain View.

A ascendência de Sundar Pichai para liderar o Android após o crescimento para o domínio do Chrome faz sentido, especialmente com a recente tentativa de tentar legitimar o Chrome OS com o Chromebook Pixel. Mais integração entre produtos chave do Google como Chrome, Android, Drive e outros apps é algo natural e promissor, e pode funcionar bem aqui.

O que isso significa para o Android em si? Não sabemos. Provavelmente nada demais em curto prazo. Rubin está deixando o armário bem abastecido, com o Jelly Bean 4.2 sendo a versão mais elogiada do Android já feita, a Play Store em grande forma e um punhado de bons dispositivos chegando de parceiros como Samsung e HTC. Se ele queria uma hora para sair em alta, certamente esse era o momento ideal.

Rubin se mudar para outro projeto no Google – considerando que ele realmente continuará por lá e o “novo capítulo no Google” não é papo corporativo para uma saída – pode ser uma coisa boa para o Android seguir em frente. Rubin desenvolveu o Android até o ponto onde ele consegue ser dominante e bom, e pode levar seu conhecimento de como fazer outras coisas do Google funcionarem bem com o sistema móvel para outros projetos.

Atualizaremos com mais detalhes caso surja algo novo, mas por enquanto, Rubin está fora e Pichai está dentro. E o Android provavelmente continuará bem. [Google]