A Foxconn está tentando, esta semana, conter o estrago na imagem da empresa devido aos recentes suicídios na empresa: o CEO Guo Tai-ming convidou 100 membros da imprensa a visitar hoje as instalações da empresa. Até mesmo a Apple e a Dell, duas empresas cujos produtos são fabricados pela Foxconn, comentaram sobre o assunto.

A Apple declarou que eles estão "entristecidos e preocupados com os recentes suicídios na Foxconn", confirmando que eles estão "em contato direto com a administração sênior da Foxconn "e que acreditam que "eles estão levando este assunto muito a sério".

A maior parte da mídia presta atenção apenas na relação entre Foxconn e Apple, para publicar uma história mais chamativa, mas a Dell também se pronunciou quanto aos suicídios, dizendo que:

Esperamos que nossos fornecedores empreguem os mesmos altos padrões que empregamos em nossas próprias fábricas. Nós garantimos estes padrões através de várias ferramentas, incluindo o código de conduta da Indústria de Eletrônicos, análises de negócios com fornecedores, autoavaliações e auditorias.

Hoje, O CEO da Foxconn mostrou o interior da fábrica Shenzhen para cerca de 100 membros da mídia, mas não antes de deixar claros alguns detalhes:

Nós queremos que todo funcionário esteja contente enquanto trabalha aqui, e tenha uma vida feliz. Este é nosso objetivo, que já foi anunciado, e hoje isso não vai mudar, e isto não vai mudar no futuro. O que temos que mudar, o futuro… deve ser fortalecido. Nós fizemos vários esforços, nós temos 70 psiquiatras para prevenir suicídios, nós treinamos 100 funcionários voluntários para o departamento de cuidado e aconselhamento, eles precisam passar por exames para se qualificar para isto. [Em] nosso mecanismo de prevenção de suicídios, nós temos um sistema de relatórios, um grupo de 50 pessoas foi estabelecido…

Isso e os monges budistas, né, Tai-ming? [ChinaNews via MIC Gadget via Reuters]