“Área de observação de lava” soa como algo que aparece no seu jogo preferido do Super Mario, mas também são lugares reais no Havaí, onde você pode observar o vulcão em escudo Kilauea cuspir suas entranhas flamejantes direto no oceano a partir de um penhasco. Ou pelo menos, você podia fazer isso até o penhasco em questão desabar no oceano na virada do ano.

• Vídeo: o que acontece quando você pisa em lava
• A única maneira de chegar mais perto da lava é se jogando nela

Durante o fim de semana, o Parque Nacional de Vulcões do Havaí foi forçado a fechar sua popular entrada Kamokuna, depois de um pedaço de 22 acres desse delta lávico desabar no mar, causando ondas que erodiram uma área de observação do lado do penhasco. Uma nova área de observação de lava foi isolada no domingo, mas as autoridades esperam liberá-la em breve.

Deltas lávicos são perigosas formações vulcânicas que crescem onde a lava encontra com o oceano e esfria. Eles não são apenas propensos a desabamentos como também emitem gases venenosos de ácido clorídrico e partículas que podem irritar os pulmões, pele e olhos. Parece realmente muito divertido!

Até o momento, a entrada Kamokuna permanece fechada. Guardas noturnos de plantão que trabalharam no ano novo relataram que a antiga área de observação sumiu completamente. Ruídos fortes e assustadores continuam sendo ouvidos.

No entanto, intrépidos espectadores da lava continuam achando formas de observar a ação que acontece na entrada no oceano, o que o dono da companhia Epic Lava Tour, John Tarson descreve como “absolutamente estonteante”. Um vídeo feito pela Epic Lava Tours ontem certamente apoia essa visão:

Assistir a lava de uma distância segura de um barco é uma coisa, mas para quem estiver a fim de dar uma checada mais de perto o pessoal do parque avisou:

Apesar dos guardas do parque terem fechado a área de observação de lava Kamokuna ontem à noite, cinco visitantes passaram por baixo da corda que isola a área e foram direto para os penhascos da costa por volta das sete da noite de ano novo. O guarda do parque Travis Delimont e um colega tiveram que persegui-los até eles se convencerem a dar meia-volta. Depois de 15 minutos, a seção do penhasco onde os visitantes estavam caiu no oceano.

“Foi um contato próximo com a morte para eles”, o guarda Delimont disse. “Por sorte eles finalmente nos ouviram e voltaram a tempo.”

É só nos lembrarmos das lições do castelo do Bowser: plataformas ao lado da lava são péssimos lugares para ficar parado.

mario-lava

[National Park Service via Hawaii News Now]

Imagem do topo: Uma grande nuvem de gás, cinzas e vapor, resultado de um colapso do delta lávico desabar no mar, na véspera de Ano Novo. Crédito: NPS Photo/Travis Delimont.