O Facebook tem sido criticado por não policiar o suficiente grupos secretos na rede social que trocam pornografia infantil. E, para piorar, a empresa está tornando a situação ainda mais delicada. Jornalistas da BBC descobriram pornografia infantil na rede e enviaram imagens do caso para o Facebook na semana passada. A rede social então relatou à polícia britânica que o veículo de imprensa estava distribuindo imagens ilegais.

• Hugo Barra agora é líder da divisão de realidade virtual do Facebook
• Pesquisa mostra que os brasileiros se preocupam (um pouco) com privacidade no WhatsApp

A BBC tem investigado grupos secretos de pornografia infantil no Facebook há anos. E, na semana passada, um representante do Facebook, Simon Milner, finalmente concordou realizar uma entrevista para falar sobre as ferramentas de moderação da rede. Só havia uma condição: o Facebook pediu aos repórteres da BBC que enviassem as imagens que eles encontraram nos grupos e que gostariam de discutir.

Os jornalistas da BBC mandaram as imagens que flagraram, e, depois disso, a empresa não só cancelou a entrevista como também denunciou os jornalistas à polícia.

“É contra a lei qualquer pessoa distribuir imagens de exploração infantil. Quando a BBC nos mandou essas imagens, seguimos nossa prática padrão do setor e reportamos para a CEOP [Centro de Proteção Online e à Criança, na sigla em inglês]”, disse o Facebook ao Gizmodo, num comunicado. “Nós também denunciamos imagens de exploração infantil que foram compartilhadas na nossa própria plataforma. O caso agora está nas mãos das autoridades.”

O Gizmodo falou com a assessoria de imprensa do Facebook no Reino Unido, mas eles se limitaram a enviar o comunicado que tinham preparado e não comentaram detalhes do caso. Simon Milner, atual diretor de políticas do Facebook, não respondeu ao pedido de comentários do Gizmodo feito na manhã desta terça-feira por meio da rede social. Milner já trabalhou para a BBC, de acordo com o seu perfil no Facebook.

Utilizando as próprias ferramentas de moderação do Facebook, a investigação da BBC tentou reportar 100 imagens que pareciam violar os termos de serviço do Facebook para imagens sexualizadas de crianças. A emissora descobriu que apenas 18 das 100 fotos denunciadas foram removidas da rede social.

Além disso, as regras do Facebook no Reino Unido proíbem que pessoas condenadas ao crime de pedofilia possam ter contas na rede. A BBC afirma que nenhuma ação foi tomada depois de identificar cinco pedófilos no site e notificá-los.

“O fato de que o Facebook enviou imagens que haviam sido enviadas a eles, que aparecem em seu site, como resposta sobre como o Facebook lida com imagens inapropriadas… o fato de que eles as enviaram à polícia pareceu extraordinário para mim”, disse o diretor de política editorial da BBC, David Jordan, para o próprio veículo.

O Gizmodo perguntou para a Agência de Crimes Nacional do Reino Unido (NCA, na sigla em inglês) sobre o caso do Facebook denunciar jornalistas da BBC por fazerem seu trabalho e recebemos a resposta padrão sobre a importância de qualquer pessoa que encontre acidentalmente pornografia infantil em plataformas de mídias sociais denunciar o caso para a polícia.

“É fundamental que plataformas de mídias sociais tenham procedimentos sólidos para combater conteúdo impróprios e que denunciem e removam esse conteúdo quando identificado. Plataformas de mídias sociais também devem oferecer mecanismos acessíveis e fáceis de usar para que os usuários reportem os casos”.

Mas a agência não comentou sobre esse caso específico e se os jornalistas da BBC estão sendo investigados por distribuir pornografia infantil. “A NCA normalmente não confirma ou nega a existência de investigações específicas, nem o recebimento de acusações específicas”, disse a agência.

“Nós revisamos cuidadosamente o conteúdo que nos foi enviado e já removemos todos os itens que eram ilegais ou contra as nossas regras”, disse o Facebook ao Gizmodo num comunicado. “Esses conteúdos já não estão mais na nossa plataforma. Levamos esse assunto com extrema seriedade e continuaremos a melhorar nossas ações de denúncias e remoção de conteúdo.”

“O Facebook tem sido reconhecido como uma das melhoras plataformas para segurança infantil na internet”, continua o comunicado da rede.

Não pudemos confirmar até o momento se o Facebook é, de fato, “uma das melhoras plataformas para segurança infantil na internet”. O que pode ser confirmado, no entanto, é o fato do Facebook ter denunciado jornalistas que estavam realizando um trabalho de boa fé para expor imagens ilegais na plataforma.

Imagem do topo: David Ramos/Getty Images