Bill Gates, hoje em dia apreciando os elogios de seu trabalho filantrópico, percebeu que as privadas são ruins em países bem pobres. Para ajudar a impedir a transmissão de doenças contagiosas, ele se dispôs a gastar US$41,5 milhões em avanços para o vaso sanitário.

A Bill & Melinda Gates Foundation está preparada para dar esta quantia enorme de dinheiro para universidades que levarem os banheiros de países pobres para a era moderna. Eles não precisam ter iluminação ambiente nem mini-tablets. Em vez disso, eles precisam reinventar o conceito sendo sustentáveis, sem depender de ligação à rede de esgoto ou à eletricidade. As propostas trouxeram conceitos movidos a calor, micro-ondas e paineis solares, todos ajudando a prevenir infecções de bactérias e parasitas.

Algumas propostas, no entanto, parecem um pouco irreais. O vaso sanitário que transforma dejetos humanos em eletricidade usando micro-ondas, por exemplo: ele envolve gaseificar os excrementos usando plasma criado pelas micro-ondas. Como observa o Marginal Revolution, se um local conseguir dominar e manter essa tecnologia, então provavelmente eles já têm privadas comuns com descarga. Pelo menos a intenção é boa, e esta é apenas uma de oito ideias que já receberam apoio da fundação. Você pode conhecer as outras propostas aqui: [Gates Foundation via LA Times via Village Voice]

Foto por Eric Havir/Flickr