Apesar de algumas imagens de paródia, o tamanho da tela não é o problema. Não é nem um problema. O engraçado é que o artigo, escrito por um jornal, discute como a tela maior realmente ajudará a Amazon a atrair os jornais para o formato – como se os jornais tivessem todas as opções do mundo para onde vão acabar parando. O artigo nem sequer menciona o aspecto mais importante: o enorme custo de telas e-ink maiores. Nenhuma referência quanto a isto, o que nos atuais preços de mercado provavelmente duplicariam o custo já punitivamente alto do Kindle.

Pra mim, este negócio todo é um círculo vicioso: jornais e editoras de livros falando sobre uma tecnologia que é quase uma total novidade como se já fosse a salvadora estabelecida da “impressão”. Eu adoro o Kindle pela sua inovação, mas por favor, vamos cuidar dos problemas de verdade. Maior? Vish…. [WSJ]