Dois hackers responsáveis por criar o enorme botnet Mirai, que derrubou grandes porções da internet no ano passado, se declararam culpados. A dupla comandou centenas de milhares de dispositivos que foram usados para lançar tráfego de spam em um servidor da Universidade Rutgers que continha um portal online usado pela faculdade e por estudantes.

• Uma rede de dispositivos “inteligentes” fez um dos maiores ataques à estrutura da internet
• Ataque DDoS em servidor DNS causa instabilidade em diversos sites

Paras Jha e Josiah White admitiram operar o botnet Mirai em acordos de confissão revelados nesta quarta-feira (13). O repórter Brian Krebs havia revelado a identidade da dupla em janeiro, depois que seu site foi alvo de um ataque DDoS do Mirai.

Jha escreveu o código-fonte do Mirai, segundo seu acordo de confissão. White e ele usaram o botnet para fraude de cliques, alugaram-no para outras pessoas fazerem ataques DDoS e comandaram esquemas de extorsão em que lançariam ataques de DDoS contra os sites das vítimas e então pediriam resgate para cancelar os ataques.

Em outubro de 2016, o botnet também foi usado para visar o serviço DynDNS, que derrubou Reddit, Twitter e outros grandes sites naquele mês. Entretanto, nem White or Jha foram acusados por esse ataque. Aparentemente, ele foi conduzido por uma terceira parte que obteve o código do Mirai depois de Jha publicá-lo online.

Reuters obteve um comunicado feito pelo advogado de Paras Jha, que reproduzimos abaixo:

“Paras Jha é um jovem brilhante cujos intelecto e habilidades técnicas eram muito maiores que sua maturidade emocional. Começando quando tinha apenas 19 anos, ele fez uma série de erros com consequências significativas que só agora ele entende completamente. Ele se arrepende profundamente e aceita a completa responsabilidade por suas ações. Ele tem a sorte de ter pais que o amam e o apoiam e um futuro brilhante pela frente. Ele se declarou culpados das acusações aqui no Distrito de Nova Jersey e no Distrito do Alaska, como primeiro passo em sua evolução rumo à idade adulta e à responsabilidade.”

Um terceiro homem, Dalton Norman, também se declarou culpado por participar do esquema de fraude de cliques ligado ao Mirai. Ele também ajudou Jha e White a acrescentar dispositivos de Internet das Coisas ao botnet, que, em seu ápice, incluiu mais de 300 mil dispositivos.

[Brian Krebs]