É quase impossível tirar fotos boas com pouca luz usando um smartphone (a menos que ele tenha um sensor enorme). Na melhor das hipóteses, você acaba com uma imagem totalmente granulada e sem definição. No entanto, pesquisadores do MIT descobriram algo melhor: eles tiraram “imagens ultra-nítidas” com pouca ou nenhuma iluminação. Basicamente, eles criaram fotos 3D nítidas no escuro.

E o mais impressionante é que o novo método de imagem 3D no escuro nem mesmo exige tecnologias novas – basta um algoritmo novo. Ele utiliza uma única partícula de luz para reunir matematicamente todas as fotos em uma só imagem. É insano. Um fóton pode transformar uma confusão de pontos em uma imagem muito mais nítida.

A Nature explica:

… pulsos de baixa intensidade de luz laser visível escaneiam um objeto de interesse. O laser dispara um pulso a um dado local até que um único fóton refletido seja registado por um detector; cada local iluminado corresponde a um pixel na imagem final.

O engenheiro eletricista Ahmed Kirmani, do MIT, diz que a equipe não inventou um novo laser, nem um novo detector. Eles apenas usaram um novo algoritmo de imagem para obter mais informações a partir do que já estava lá. O algoritmo descobre como diferentes partes do objeto fazem sentido (em relação à luz) para formar a imagem.

Ela basicamente nos permite ver sem luz – ou, na verdade, com pouquíssima luz. Isto pode ser bastante útil em áreas como inteligência militar, espionagem, estudos de coisas sensíveis à luz e muito mais. [Nature]