Mais de 30.000 camisinhas Rape-Axe estão sendo distribuídas gratuitamente na Copa do Mundo da África do Sul. Elas não vão acabar com os estupros, mas as camisinhas femininas têm dentes afiados para grudar no pênis, e só podem ser removidas por médicos.

A inventora, Dra. Sonnet Ehlers, ficou inspirada em inventar a dolorosa camisinha depois que ela conheceu uma mulher que havia sido estuprada. A mulher aparentemente disse a Ehlers "se pelo menos eu tivesse dentes lá embaixo", o que a estimulou a procurar formas de fazer os homens se arrependerem de seus atos.

A mulher insere a camisinha Rape-Axe como se fosse um diafragma ou tampão. Se o ato violento acontecer, a parte interna da Rape-Axe se prende ao pênis e não sai – na verdade, ele se aperta ainda mais e impede o homem de urinar. A única forma de removê-la é indo ao médico – o que obviamente ajuda a identificar e prender o estuprador.

No entanto, a solução não é perfeita: caso a Rape-Axe se torne corriqueira, o homem pode checar se a mulher está usando uma e fazê-la tirar. Fora que ele pode ficar ainda mais agressivo com ela.

Depois da Copa, a Dra. Ehlers vai começar a vender a Rape-Axe por US$2 cada. [Rape-Axe via Jezebel]