Quase cinco anos atrás, a Canon 5D Mark II mudou para sempre as câmeras ao tornar os vídeos em uma função de DSLR. Ela se tornou a queridinha de cineastas independentes, fotógrafos de guerra e qualquer um que tivesse necessidade de imagens em movimento visualmente distintas e incrivelmente convenientes. Ela ainda é. Mas está prestes a subir de nível. Encantem-se com a Canon 5D Mark III.

Apesar da Mark II ter desbravado novos caminhos, está defasada. A Mark III promete refinamento e ferramentas mais precisas: fotos melhores e vídeos mais fáceis do que nunca. Ela está ainda mais revolucionária – uma DSLR de US$3500 ainda mais perfeita. O que você terá é um sensor de imagem full-frame renovado, e o novo processador de imagens Digic 5+ da Canon. A Mark III promete ser mais rápida, mais poderosa e mais versátil do que a amada 5D Mark II. A Canon diz que ela irá tirar fotos melhores no escuro, terá mais opções de vídeo, e controles precisos nas suas fotos. Será essa a nova queridinha dos fotógrafos?

O novo sensor

Vamos começar aqui por onde a mágica acontece: o sensor. O sensor full frame de 22.3 megapixels da 5D Mark III é novo em folha. Leitores mais atentos irão notar que o leve aumento em relação aos 21.1 megapixels da Mark II significam mais pixels em um sensor do mesmo tamanho. O que significa que os pixels agora são ligeiramente menores. Você pode achar que isso poderia prejudicar a qualidade da imagem em ambientes com pouca luz, mas a Canon alega que é o exato oposto, que os pixels na verdade recebem mais luz devido à maneira que o novo sensor foi projetado. Seu design de micro lentes sem abertura supostamente permite que entre mais luz – nós não testamos isso ainda, mas é a mesma tecnologia usada na 1 DX, e aquela coisa é um monstro em ambientes com pouca luz. Os componentes eletrônicos do sensor também são mais eficientes que antes, o que ajuda a reduzir ruído.

O resultado é que a Mark III pode agora fazer imagens em resolução total em um impressionante ISO 26.500 – dois pontos depois do limite de 6400 da Mark II. O que isso significa para você, como fotógrafo? Que a 5D Mark III irá tirar fotos tranquilamente em lugares que a 5D Mark II já havia atingido seu limite de baixa luz. E também, quando você chegar ao limite da Mark III, as imagens não serão tão distorcidas ou cheias de ruído quanto antes.

Tirando fotos com a câmera

Além do sensor, é útil pensar na 5D Mark III como a irmã mais nova da super poderosa Canon 1 DX. Com ISO chegando a 204,000 e uma faixa de preço que beira os US$7000, a 1 DX é uma DSLR monstro invencível e inacessível. Felizmente, algumas de suas funções mais bacanas estão também na Mark III, começando com o processador Digic 5+. A 1 DX tem dois desses, e apesar da 5D Mark III ter apenas um, este único processador é 17 vezes mais rápido do que o Digic 4 que a 5D Mark II carrega. O que isso significa na prática? Que o autofoco na 5D Mark III irá achar o ponto certo mais rápido, irá disparar mais rápido quando você apertar o botão do obturador, e será capaz de processar os dados em um piscar de olhos, para que você possa voltar a disparar. Na verdade, a Canon diminuiu o atraso do obturador para apenas 59 milissegundos, o que faz com que a 5D Mark III tenha a resposta mais rápida do mercado. Além disso, essa geração irá tirar fotos de 6 fps ao invés de apenas 4 fps. Em alguns casos, essa é a diferença de conseguir a sua foto e perder por um triz.

A 5D Mark III não pega apenas partes dos genes poderosos da 1DX; ela herda também algumas características de outros membros da família Canon. Principalmente, você irá ver alguns traços da Canon 7D em como a câmera mede a luz e escolhe um ponto focal. O novo autofoco de 61 pontos em ambas as câmeras é o sonho do fotógrafo meticuloso, e uma grande melhoria em relação ao humilde esquadrão de pequenos nove pontos no viewfinder da Mark II. Na Mark III o número subiu para 61, que pode ser configurado em inúmeras formações para se assegurar que a sua foto será precisa.

O sistema de medição da 5D Mark III também foi reforçado; ele agora lê 63 zonas para calcular quanta luz está atingindo o seu sensor ao invés dos 35 anteriores. Nem todo general precisa dessa quantidade de soldados, mas poucos iriam recusar o reforço.

A melhora no vídeo

É importante lembrar que a Canon 5D Mark II deve muito de sua popularidade à sua capacidade de vídeo em 1080. E é igualmente importante notar que, como a primeira DSLR HD da Canon, ela ainda tinha bastante espaço para melhorar.

Primeiramente, diferente da 7D e de outras DSLRs mais recentes da Canon, a 5D Mark II não pode gravar a 60 fps. Porque isso importa? Gravar em 60 fps dá a você a flexibilidade de criar sequências em câmera lenta ao reduzir o vídeo para frame rates mais comumente usados (25, 30). É um efeito útil, e um que você agora pode aproveitar com a 5D Mark III. Ela grava a 60 fps, apesar de fazer isso em uma resolução menor – mas ainda HD – de 720p.

Além disso, apesar da entrada para usar um microfone externo para gravar áudio de melhor qualidade ser bem útil na Mark II, ela não tinha uma saída para headphone para que você pudesse monitorar os níveis de áudio. Não ouvir o que você grava é a maneira mais fácil de garantir que não vai ficar da maneira que você pretendia, não importa quão chique o seu microfone seja. A 5D Mark III resolve este problema com uma saída estéreo para fone de ouvido.

Design, acessórios, novos modos e mais

Além dessas melhorias no hardware e no desempenho, a 5D Mark III traz alguns pequenos ajustes que irão agradar diferentes tipos de fotógrafos. Por algumas centenas de dólares cada, você pode escolher um GPS ou um transmissor wireless para transferir imagens com mais facilidade. Graças ao processador mais robusto, a câmera agora também tem modos de múltipla exposição e HDR, cada um deles combina várias fotos em uma, para diferentes propósitos. O primeiro irá juntar várias fotos para formar uma imagem usável em condições desfavoráveis, enquanto o outro é usado para criar efeitos mais artísticos nas suas fotos. Você sabe, para o caso de você querer que elas pareçam ter relevo ou algo assim.

O design da câmera é similar ao da 5D Mark II, mas a versão de pré-produção parecia levemente maior do que a 5D Mark II e tem alguns novos botões, o mais importante dele veio da 7D. Existe um botão multifunção próximo ao obturador, que pode ser programado para controlar quatro modos chave de disparo. Também tem um novo botão para começar/parar a gravação e um botão “rate” para você taggear as imagens boas em qualquer lugar. A Canon incluiu entradas para cartão CF e SDHC para muito armazenamento. A lista continua, mas você já entendeu o ponto: esta parece ser uma câmera fantástica.

A nova potência profissional?

Pelo que pude ver, a Canon 5D Mark III será incrível. Claro que nós não iremos saber até realmente testar; não há garantia que todos esses ajustes e melhorias irão funcionar conforme anunciado. Existe muita tecnologia nova que nunca foi usada por aí, espremida em um corpo pequeno. O novo processador será tão robusto quanto parece? Ou será que ele será meio bugado? O novo autofoco irá desapontar? É pouco provável, mas não é impossível. Parte do que torna a 5D Mark II tão legal é a sua simplicidade: Ela tira ótimas fotos e faz vídeos belíssimos também. A única coisa certa é que a 5D Mark III traz mais complicações.

Dito isto, no papel a Canon 5D Mark III melhora a sua predecessora em quase todas as categorias que você conseguir pensar. Isso sozinho torna-a uma das câmeras mais importantes lançadas nos últimos cinco anos. Mas ela irá fazer jus ao hype? Nós vamos descobrir quando a câmera sair no final de março. [Canon USA]

Canon EOS 5D Mark III
Preço: US$3500 (corpo)
Sensor: 22.3-megapixel, full-frame (36.0mm x 24.0mm) CMOS
Processador: Digic 5+
ISO máximo: 25,600 (padrão), 102,400 (expandido)
Tamanho máximo da imagem: 5,784 x 3,856
Vídeo: 1080p (24/25/30 fps), 720p (24/25/30/50/60 fps)
Tela: 1.04 milhão de pontos, LCD 3.2 polegadas