Você entra no seu carro, liga o sistema multimídia e em poucos segundos está tocando a música armazenada no seu celular, via Bluetooth. Se alguém te ligar, no próprio volante tem um botãozinho para aceitar ou recusar a chamada. Os carros atuais oferecem uma conexão bem cômoda com o seu smartphone, mas as coisas não eram bem assim em 1988.

• Pesquisa na Austrália revela a melhor utilidade dos carros autônomos
• EUA querem que os smartphones tenham “modo dirigir” para evitar distração de condutores

O pessoal do Jalopnik reuniu algumas fotos de um carro luxuoso da Nissan da década de 1980; uma das principais características do modelo era um celular embutido. O opcional estava disponível em três modelos: Nissan Cedric, Gloria e Cima; nenhum deles chegou a ser comercializado no Brasil.

Na real, os celulares embutidos já existiam há um bom tempo. Quando as primeiras torres de celular começaram a ser instaladas em 1940 e 1950, carros luxuosos como Limousines já contavam com um aparelho. Mas foi só nos anos 1980 que passaram a fazer sucesso.

Nesses veículos da Nissan, o aparelho ficava no console central do carro, perto do câmbio. Fabricado pela japonesa NEC, ele era controlável pelos botões no centro do volante. Se você quisesse fazer uma ligação enquanto dirigia, era só digitar os números ali, mas não dava para fazer nada muito além disso.

nissan-1

Já na época de fabricação desses veículos, os celulares pessoais estavam começando a ficar populares. Justamente por esse motivo, o boom dos celulares automotivos durou apenas uma década. Assim que os celulares começaram a ficar mais acessíveis nos anos 1990, os modelos embutidos nos carros deixaram de ser interessantes.

Pelo menos esse volante era bem estiloso.

nissan-2

nissan-3

[Jalopnik]
Imagens: Nissan Heritage