Existem poucas coisas melhores do que uma xícara de chá quente em um tumultuoso dia frio. Mas conforme sugere um novo estudo publicado nessa segunda-feira (5) no Annals of Internal Medicine, o hábito de algumas pessoas de beber chá – particularmente aquelas que consomem bebidas alcoólicas e fumam regularmente – pode estar aumentando suas chances de desenvolver câncer de esôfago. As descobertas também destacam como é complicado descobrir o que de fato causa um câncer.

• Um novo relatório liga radiação de celular a câncer em ratos
• Iniciativas genéticas buscam entender como um tumor se transforma em câncer

Os pesquisadores examinaram dados de um estudo populacional em andamento conhecido como China Karadoorie Biobank. O estudo coletou medidas físicas e relacionadas à saúde em questionários entregues a mais de meio milhão de adultos vivendo na China entre 2004 e 2008. Desde então, ele vem monitorando o desfecho da saúde desses habitantes. Os pesquisadores focaram em cerca de 400 mil pessoas sem câncer no começo do estudo. Mas, até 2015, 1.731 indivíduos foram diagnosticados com câncer do esôfago.

Eles descobriram que pessoas que afirmaram beber chá quente ou fervente estavam mais propícias a desenvolver câncer do esôfago, mas apenas se também possuíssem o costume de consumir álcool e fumar. Tanto álcool quanto cigarro são dois fatores conhecidos por causar esse tipo de câncer.

As pessoas que bebiam chá muito quente e mais de 15 g de álcool (o equivalente a uma dose padrão) por dia estavam cinco vezes mais propícias a desenvolver câncer de esôfago do que pessoas que bebiam chá e álcool menos de uma vez por semana. Semelhantemente, fumantes que bebiam chá muito quente diariamente estavam duas vezes mais propícios a desenvolver o câncer. E o risco era ainda maior em pessoas que se engajavam nos três hábitos.

“Acho que os resultados são muito importantes”, diz ao Gizmodo Catherine Carpenter, professora associada de nutrição clínica na Universidade da Califórnia em Los Angeles. “[Mas] não há nenhuma questão que especifica se o chá é cancerígeno por si próprio. Não se trata disso, é sobre manter por um longo período o hábito de consumir bebidas muito quentes.”

Até o consumo regular de chá apresenta um baixo risco de desenvolver alguns tipos de câncer, ela adiciona.

A China, há tempos, é conhecida por ter taxas relativamente altas de câncer de esôfago, o que gera a especulação de que a paixão do país por chá seja parcialmente responsável por isso. Mas as descobertas também ilustram o quão complexo o câncer pode ser.

“Provavelmente, todos os cânceres possuem mais de uma causa, e o que torna isso tão desafiante é que algumas pessoas podem desenvolver um mesmo câncer, mas por razões diferentes”, explica Carpenter. “É isso o que torna o estudo do câncer tão difícil.”

A pesquisa sugere que fumar, beber e as queimaduras causadas pelas altas temperaturas das bebidas parecem se amontoar umas sobre as outras para substancialmente aumentar nossas chances de adquirir câncer de esôfago, criando um “coquetel letal”, conforme conta Carpenter. Porém, estudos conduzidos em outros lugares também descobriram um aumento no risco de desenvolver câncer por causa de bebidas quentes. Baseada nestas evidências, a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer da Organização Mundial de Saúde classificou bebidas quentes como agentes parte do Grupo 2A em 2016, considerando-as como “provavelmente cancerígenas” para as pessoas.

Então, talvez seja o caso de ainda haver um pequeno risco ao constantemente consumir bebidas quentes, ou talvez a pesquisa anterior estivesse de alguma forma incorreta, não considerando adequadamente outros fatores de risco, como beber e fumar.

A conexão entre chá quente e o câncer é ainda mais preocupante para mulheres, mesmo quando o fumo e a bebida são inseridos na mesma equação. Isso pode significar que o gênero tenha um papel inerente em causar o câncer de esôfago. O número de mulheres que bebia chá, tinha câncer de esôfago, fumava e bebia regularmente era menor, o que talvez signifique que a quantidade de pessoas avaliadas não era grande o suficiente para chegar a alguma conclusão sólida nesse aspecto. Enquanto 40% dos homens eram consumidores regulares de chá, apenas 16% das mulheres eram consumidoras regulares da bebida.

Também vale mencionar que, apesar do câncer de esôfago ser muito sério e geralmente uma doença fatal que mata cerca de 400 mil pessoas anualmente, ele é relativamente raro. De acordo com o National Cancer Institute, é estimado que o,5% de homens e mulheres seja diagnosticado com esse tipo de câncer durante a vida. Em comparação, o câncer de mama – cujo risco também é elevado com o fumo e a bebida – afeta cerca de 12% das mulheres.

Os pesquisadores, baseados em seus resultados, aconselham consumidores de bebidas alcoólicas e fumantes a maneirarem no chá, O estudo não questiona a temperatura especifica do chá quando ele é consumido pelos avaliados, mas outras pesquisas descobriram que o risco de câncer cai por completo em bebidas abaixo de 65º C – um nível em que a maioria das pessoas já consome chá e café.

E apesar de isso soar como conselho, é também verdade que você estaria mais saudável se cortasse pelo menos um dos três hábitos. Você não apenas estaria fazendo um favor à sua garganta, mas o restante do seu corpo também apreciaria o gesto.

[Annals of Internal Medicine]