Até a chegada do ônibus em 2013, Arlington, Texas, era a maior cidade dos EUA sem serviço de transporte público. Os residentes repetidamente votaram contra medidas que trariam o transporte em massa para a área e agora a cidade está dispensando de vez o serviço em favor a uma startup de caronas.

Uber subsidiado como transporte público? Vai acontecer na Flórida
Adivinhe qual empresa ajudou a criar uma lei para classificar o Uber como o Uber queria

A Via permite que passageiros viagem em uma van da Mercedes-Benz para até seis passageiros solicitada por um app, ou, caso alguém não tenha um smartphone, ligando para um número, de acordo com o comunicado à imprensa da cidade de Arlington. Passageiros serão coletados em localidades próximas ou em suas próprias casas – não existem trajetos ou horários fixos. Cada viagem custa US$ 3 e os passageiros podem adquirir um passe semanal por US$ 10, de acordo com o TechCrunch.

A cidade firmou contrato de um ano com o serviço, com a possibilidade de renová-lo por até mais quatro vezes pelo mesmo período, de acordo com o comunicado. A Câmara Municipal da cidade aparentemente planeja usar os dados coletados pelo serviço para auxiliar na montagem dos seus planos de trânsito para o futuro.

“Estamos no começo de uma entusiasmante revolução tecnológica do transporte”, diz Jeff Williams, prefeito de Arlington. “E o programa piloto de caronas da Via é o mais novo exemplo da disposição da nossa cidade em explorar soluções tecnológicas inovadoras de transporte para os nossos residentes, funcionários, estudantes e visitantes”.

Expandir as opções de carona na cidade não é algo necessariamente perigoso, mas fazê-la ao custo de alternativas públicas acessíveis marca um desconcertante passo na governança de empresas de tecnologia. Ela também reforça a missão do Vale do Silício em solucionar problemas sociais por meio da tecnologia quando, por exemplo, um melhor planejamento municipal solucionaria o problema.

Apesar dos residentes de Arlington terem repetidamente votado contra medidas que levariam o transporte publico para a cidade – e em vez disso gastaram esses investimentos reformando o estádio do município– ainda é importante para os locais terem acesso a opções de transporte sustentáveis e de baixo custo. Para os residentes sem acesso a um smartphone, depender de uma ligação para conseguir um transporte sob demanda é uma forma um pouco tenebrosa de se locomover.

Imagem de topo: Via/Facebook

[Engadget]