Sua árvore genealógica acabou de crescer. Cientistas analisaram fósseis encontrados na China, e verificaram que ele é de uma espécie humana como nunca antes identificado. Dê um oi para seu parente longínquo.

O crânio acima, descoberto em 1979 na província de Guangxi, na China, só agora foi completamente analisado (ninguém explicou por que tanta demora). Segundo os cientistas, ele tem ossos espessos, arcos supraciliares – as saliências acima dos olhos – bastante proeminentes, um rosto bem curto e reto, e não há o queixo geralmente encontrado em humanos. “Em suma, ele é anatomicamente único entre todos os membros da árvore evolucionária humana”, explica o pesquisador Darren Curnoe à New Scientist.

E mais: apesar das grandes diferenças, a espécie recém-descoberta agia de muitas formas como outros humanos. Há evidências de que eles cozinhavam cervos em cavernas, por exemplo, o que os separa dos macacos. A descoberta foi documentada em artigo no PLoS One.

Os detalhes mais específicos de como a nova espécie entra em nossa árvore genealógica são mais incertos. Uma teoria diz que esta era uma nova linha evolucionária que seguiu paralelamente à nossa espécie, assim como os neandertais. Outra teoria sugere que eles poderiam ser descendentes do hominídeo de Denisova, que habitava a Sibéria. Testes de DNA devem ajudar a resolver este problema, e revelar se este parente é próximo ou distante. [PLoS OneNew Scientist; foto por Darren Curnoe]