Discos rígidos tradicionais estão chegando a um limite de capacidade: eles simplesmente não podem conter mais dados em seus discos. No entanto, um pesquisador do IMRE (Instituto de Pesquisas e Engenharia de Materiais), da Universidade Nacional de Cingapura, descobriu uma forma de sextuplicar a capacidade usando sal de cozinha.

A tecnologia atual para armazenamento de dados depende de agrupamentos de grãos magnéticos e microscópicos, distribuídos de forma desigual. Esses grãos têm cerca de 7 nanômetros de largura, e cada agrupamento de grãos armazena um bit de dados; isso resulta em uma densidade máxima de armazenamento de 1 terabit (128GB) por prato, o disco magnético de metal que armazena dados no HD.

Ao integrar cloreto de sódio – o sal de cozinha – nos pratos, o pesquisador Dr. Joel Yang descobriu que um bit de informação pode ser armazenado em um só grão de sal com 10nm, em vez de diversos grãos com 7nm cada, aumentando a capacidade total de um prato para 18 terabits (2.300GB). A densidade de armazenamento chega a 0,5TB/cm².

O Dr. Yang espera primeiro expandir a capacidade do disco para quase 1TB/cm², para então mirar em absurdos 1,5TB/cm² – cerca de 54 terabits (6,75TB) por prato. Impressionante. Comece a estocar sua pornografia em Full-HD (ou 4K)! [IMRE via Physorg via Geek.com]