O iPhone 5 chega ainda este mês a uma leva de 30 países, porém só desembarca no Brasil “até dezembro”. Mas, se você quer o novo iPhone agora mesmo, há diversas formas de comprá-lo sem esperar o lançamento oficial por aqui.

Como comprar

Se o nano-SIM e a falta de 4G não lhe impedirem de comprar o iPhone 5 – falamos sobre isso mais abaixo – eis como você pode fazer isto, no Brasil ou no exterior.

Comprar desbloqueado no exterior

O iPhone 5 será vendido em versão desbloqueada nos EUA pelos seguintes preços: US$649, US$749 e US$849 pelos modelos de 16GB, 32GB e 64GB, respectivamente. No entanto, ele só estará disponível por lá “nas próximas semanas“, algum tempo depois do lançamento nas operadoras em 21 de setembro.

UPDATE: Nas Apple Stores físicas, a operadora Verizon está vendendo o iPhone 5 desbloqueado para redes GSM, e você pode comprá-lo nas lojas dos EUA aparentemente sem contrato.

Mas! No Canadá, a Apple Store só vende aparelhos desbloqueados, ou seja: você pode comprá-los agora mesmo. Eles custam o equivalente a cerca de R$1.450, R$1.650 e R$1.850 para cada um dos três modelos. Se você conhece alguém por lá, já sabe o que pedir.

Você também já pode comprar os aparelhos desbloqueados na Apple Store de países como Reino Unido, FrançaAlemanha ou Austrália, mas nesses países ele sai um pouco mais caro, a partir de R$1.700. O iPhone 5 tem suporte às mesmas bandas 2G e 3G ao redor do mundo, então você deve usá-lo sem problemas no Brasil.

Todas as lojas agora listam o iPhone com prazo de envio de 2-3 semanas, então provavelmente será difícil encontrá-lo em lojas físicas tão cedo.

Comprar bloqueado nos EUA

Nos EUA, você também pode comprar o iPhone 5 nas operadoras e depois cancelar o contrato. Como o aparelho custa a partir de US$199, e a rescisão soma até US$325 (na AT&T), esta opção é a mais barata. Mas você terá que desbloquear o aparelho depois, o que pode ser fácil ou dar muito trabalho.

UPDATE: o iPhone 5 em contrato na Verizon é desbloqueado para redes GSM, então você só terá que cancelar o plano. É uma opção a se considerar, mas verifique primeiro as condições de cancelamento na loja.

Na AT&T, o desbloqueio é feito através deste formulário, ou por telefone ou chat. Você precisa informar o IMEI do aparelho (basta discar *#06#), seus dados pessoais, e a AT&T avalia seu pedido. Se a operadora permitir o desbloqueio, você receberá um e-mail de resposta em até 7 dias; então basta seguir estas instruções da Apple para desbloquear de vez. Se a AT&T não deixar, no entanto, você terá que insistir com a operadora, ou tentar um método alternativo.

A Gevey promete desbloquear qualquer aparelho da AT&T usando apenas o IMEI, e cobra US$50 pelo desbloqueio. Se isso funciona mesmo, ou se funcionará com o iPhone 5, não sabemos. Mas provavelmente não será possível desbloquear o iPhone 5 usando UltraSn0w, já que ele não tem suporte nem mesmo ao iPhone 4S. Você teria que comprar um chip da Gevey para desbloqueio; mas como o iPhone 5 usa nano-SIM, é preciso esperar até surgir uma versão específica do Gevey SIM para ele.

Se você for seguir este rumo, evite comprar o iPhone na Sprint ou Verizon. Sim, eles funcionam na rede GSM, mas: elas cobram taxa maior de rescisão (até US$350); têm algumas políticas chatas de desbloqueio; e o processo de desbloqueio não-oficial (com chip Gevey) pode demorar mais a sair para aparelhos com CDMA, usado pelas duas operadoras.

Comprar no MercadoLivre ou eBay

Esta decididamente é a opção menos recomendável. No MercadoLivre, você já encontra alguns vendedores oferecendo o iPhone 5, mas ou eles têm reputação baixa, ou cobram um fortuna, ou prometem o aparelho bloqueado.

No eBay, são problemas semelhantes. Mesmo que a reputação dos vendedores seja alta, ou o preço é alto, ou o iPhone vem bloqueado. Além disso, é grande a chance do celular ser taxado na alfândega: ou seja, você pode pagar mais 60% em cima do preço mais o frete.

Alguns detalhes

Você precisa atentar a alguns detalhes antes de trazer um iPhone 5 ao Brasil.

Nano-SIM

Nano-SIM.O iPhone 5 é o primeiro aparelho do mundo a usar nano-SIM, um chip de celular ainda menor que o micro-SIM. Mas você poderia cortar um chip comum para ele virar um nano-SIM?

Provavelmente, não: o nano-SIM é levemente mais fino. Por isso, o chip cortado pode não caber no novo iPhone. Isso ainda precisa ser confirmado, mas é possível que você precise de uma gambiarra – lixar o chip? – para fazê-lo caber na portinhola menor.

Felizmente, as operadoras brasileiras já estão se preparando para o iPhone 5: a Vivo já vende o nano-SIM em suas lojas, enquanto a Oi promete trazê-lo “o mais rápido possível” e a TIM, “antes mesmo do lançamento do iPhone 5 no Brasil”. E há adaptadores para usar o nano-SIM em entradas de micro-SIM e chip comum, então você poderá colocá-lo em outro aparelho sem maiores problemas.

Sem 4G

O iPhone 5 não será compatível com a faixa de 2,5 GHz usada pelo 4G brasileiro. A Apple não confirma se prepara um modelo nacional com suporte a LTE, porém tudo indica que não: no site brasileiro do iPhone 5, não há qualquer menção a 4G ou LTE.

Mas a Anatel aponta que, na Áustria – onde o iPhone 5 será lançado no final de setembro – o 4G cobre exatamente a nossa frequência. Ou seja, se a Apple fizesse um modelo específico para o 4G da Áustria, teoricamente ele seria compatível com o nosso. Mas parece que não será o caso: no site austríaco do iPhone 5, não há qualquer menção de 4G - assim como no site brasileiro.

Cronograma do 4G no Brasil.O sucessor do 3G já começa a dar seus primeiros passos no Brasil. A Claro já testa o LTE em três cidades-piloto, por exemplo.

E o governo prevê que a rede 4G entra em operação já em abril do ano que vem, nas cidades-sede da Copa das Confederações: Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, Recife e Salvador.

E até dezembro/2013, o 4G deve chegar a todas as sedes e subsedes da Copa do Mundo, então entrariam na lista: Cuiabá, Curitiba, Manaus, Natal, Porto Alegre e São Paulo.

Será que governo e operadoras vão cumprir os prazos? Talvez sim, talvez não, mas comprando o iPhone sem 4G, você com certeza ficará fora dessa.

Vale a pena esperar o iPhone 5 nacional?

Sim, na nossa opinião.

Quem está num plano pós-pago terá descontos se esperar pelo iPhone 5 nacional. Nesse caso, o preço deve ser próximo ao dos aparelhos desbloqueados no exterior, se a Apple repetir os preços do iPhone 4S. A diferença não deve ser grande no pós-pago, e ainda há a esperança do 4G! Nesse caso, é melhor esperar “até dezembro”.

Mas, caso você esteja desesperado para ser um dos primeiros a ter um iPhone 5 no Brasil, use as dicas acima, peça para um amigo ou parente seu que o traga do exterior, e boa sorte.