Fabricantes estão constantemente lançando novos smartphones Android, e isso pode ser um pouco confuso quando chega a hora de comprar um novo celular. Veja como evitar ficar sobrecarregado e diminuir suas dúvidas na hora de decidir pela compra.

O grande número de celulares Android aparecendo no mercado é uma benção e ao mesmo tempo uma maldição. Por um lado, você tem um grande número de smartphones para escolher; por outro, é fácil ficar perdido. O hype em cima deles torna tudo especialmente difícil, porque todo mundo parece estar sempre apontando um celular como “o melhor Android do mercado”.  O fato em questão, no entanto, é que não se trata de pegar o melhor e mais novo smartphone. É sobre achar o melhor celular para você. Além disso, fabricantes tentam anunciar o produto com uma lista de especificações longa e poderosa como sendo o celular ideal, o que também não é verdade. Eis aqui as coisas que você vai querer realmente buscar quando estiver comprando um novo celular.

Quando devo fazer um Upgrade?

Esta é uma pergunta bem ampla, e a resposta varia muito de pessoa para pessoa, mas temos alguns conselhos para oferecer para aqueles que estiverem considerando comprar um novo celular.

Cuidado com a inveja de gadgets: Como o Android é distribuído por várias operadoras e fabricantes, sempre há novos smartphones sendo lançados. Pode ser muito difícil ver celulares bacanas sendo lançados a torto e a direito e não querer um, mesmo que eles não necessariamente sejam um grande upgrade em relação ao seu atual. Se você atualmente está curtindo o seu G1 (o primeiríssimo celular a rodar Android) você provavelmente merece atualizar para um modelo mais rápido, mas usuários do Motorola Milestone podem ficar um pouco indecisos quanto à isso. Claro, seu smartphone é um pouco mais antigo e lento do que os modelos atuais do Android, mas isso não significa que você precisa de um celular novo. Afinal de contas, você sempre pode acelerar o celular por si mesmo.

Saiba o que está por vir nos próximos meses: Por outro lado, muitas pessoas estão constantemente preocupadas em atualizar o celular, quando um novo e melhor smartphone está provavelmente prestes a ser lançado. Entretanto, só vale a pena esperar se algo realmente grande estiver vindo em um futuro próximo (lendo o Gizmodo você pode ter uma noção do que está chegando aos EUA e que pode estar desembarcando aqui). Da mesma forma, se estiver perto de dezembro e você estiver pensando em pegar um novo celular, talvez valha a pena esperar até janeiro para ver se o Google anuncia um novo Nexus. Geralmente, se uma nova função vale a pena esperar, você vai saber sobre ela antes do lançamento – então tenha essas coisas em mente e não estresse sobre ter sempre o “mais novo” celular do mercado. Sempre terá outro “mais novo” ainda.

Espere até que uma linha seja lançada antes de considerá-la: Você pode aprender muita coisa sobre um celular a partir da lista de especificações e os primeiros vídeos. Você pode ter uma boa ideia de qual celular você quer ficar de olho, mas não há substituto para testar o celular de fato. Além disso, se você não quer apenas comprar um smartphone às escuras – espere alguns reviews aparecerem na net, veja se seus desenvolvedores de ROMs favoritos darão suporte ao celular (se você curtir rootear), e por ai vai, e então você tomará uma decisão muito mais informada.

Avaliando especificações baseado no que é mais importante para você

Os recursos mais comentados nem sempre são os mais importantes quando se trata de decidir qual smartphone comprar. Aqui estão algumas coisas que você definitivamente vai querer olhar para diminuir sua lista de possíveis celulares, e também algumas que consideramos menos importantes.

Versão do Software


O SO do Android tem recebido atualizações um pouco mais frequentes recentemente (já estão falando de 2.4 antes mesmo do 2.3 ser o padrão para a maioria dos celulares), e estas atualizações vem com todo tipo de funções bacanas – então quando você estiver comprando, tenha certeza que os celulares que você está olhando estão com a versão mais nova do Android que você puder encontrar. Nesse momento, isto significa achar um smartphone com 2.2 Froyo (já que o Gingerbread não está disponível na maioria dos celulares) se comprar fora do País e pelo menos 2.1 no Brasil. Você nunca tem a garantia de receber uma atualização para a versão mais nova, então você vai querer buscar a versão mais recente que conseguir. E por falar em atualizações….

SO Android e atualizações do fabricante


Um dos tristes fatos da vida com Android é que receber atualizações é completamente dependente da fabricante do celular e de sua operadora. Enquanto pegar um celular com a última versão do Android é uma boa ideia, é ainda mais importante que você compre de um fabricante que você confia que irá de fato atualizar seu celular. Nós já vimos quais fabricantes são mais confiáveis nesse quesito, mas isto é importante o suficiente para que a gente repita aqui: HTC tem um bom histórico de atualizar seus celulares, e a Motorola tem feito um bom trabalho também (exceto talvez no Brasil, onde o Milestone teve seu update atrasado em meses e aparelhos como o Dext ficaram para trás). Eles obviamente não são os únicos fabricantes que existem, mas se update de software é algo importante pra você (e se você não estiver disposto a rootear seu celular), isto deve ser um fator chave na decisão de qual celular comprar.

Desenvolvimento de Third-party (Se você for um Rooter)


Se você tiver uma ROM favorita (neste caso, uma ROM é uma simples versão modificada do Android) – por exemplo, CyanogenMod – pode ser uma boa ideia esperar para ver se ele será desenvolvido para um certo dispositivo antes de comprar. Infelizmente, isto é bem difícil de saber até que o celular seja lançado e alguém comece a trabalhar nele. Eu percebi que o twitter e os fóruns do CyanogenMod são boas fontes de informação desta ROM em particular, então fique de olho nos desenvolvedores para descobrir se eles vão começar a desenvolver para aquele dispositivo. Você pode ter esperar um pouco mais para ter um celular se não conseguir viver sem uma ROM personalizada, mas este é o preço que pagamos para ter tais luxos.

Interface dos fabricantes


Quase todos os fabricantes hoje em dia adicionam sua própria interface de usuário (UI) no Android, desde a Sense UI da HTC, Motoblur da Motorola, ou TouchWiz da Samsung. Enquanto nós normalmente preferimos rodar launchers de third-party como o ADW, LaucherPro, Go ou Zeam, muitas pessoas preferem a interface do fabricante. HTC Sense, por exemplo, fornece vários widgets atraentes para sua tela inicial.

Instalar um launcher de third-party geralmente remove a maioria dos elementos das UIs dos fabricantes, mas tenha em mente que eles não necessariamente vão se livrar de tudo. Os fabricantes podem também mudar a UI em alguns aplicativos como mensagens, mudar ícones da tela inicial, e adicionar teclados diferentes (apesar que eles normalmente são melhores do que o teclado padrão). Quando você encontrar um celular que goste, tenha certeza que checou os apps e veja se eles são diferentes do Android padrão, porque a menos que você faça root e instale uma ROM personalizada, você pode ficar preso à UI modificada do seu celular.

Câmera


Se você prevê que irá tirar muitas fotos com seu celular, você pode querer checar a câmera de antemão (se não, você pode pular este passo). Infelizmente, isto é algo que você só vai poder realmente testar na loja – especificações da câmera não dizem muita coisa. Megapixels só determinam a largura das fotos, não quão boas elas são, então não escolha uma cameraphone de 8MP ao invés de uma de 5MP apenas por causa da lista de especificações. Tire algumas fotos com a câmera em exposição na loja se possível, especialmente com pouca luz, e compare com outros celulares; se você não puder fazer isto em pessoa, você pode navegar pelo Localizador de Câmeras do Flickr, que permite que você veja fotos tiradas por certos dispositivos. Por exemplo, eis aqui os Androids da HTC. Claro, tem muitas coisas que você pode fazer para melhorar o desempenho de uma cameraphone medíocre também.

A outra coisa para se levar em consideração aqui é a agora popular câmera frontal. Se você planeja fazer videoconferências com seus amigos e família, você definitivamente vai querer ficar de olho nisso. Se não, apenas ignore – não há motivo para ficar procurando feito bobo nas longas listas de especificações dos celulares para saber se tem funções que você não irá usar (e obviamente, também não há motivos para evitar cameraphones com câmeras frontais).

Duração da Bateria


Duração curta da bateria é uma das coisas mais irritantes nos smartphones modernos, por inúmeras razões diferentes. Devido a tantas coisas diferentes afetarem a vida útil da bateria, é melhor que você leia reviews e comparações de baterias de diferentes celulares ao invés de se preocupar com velocidade do processador ou tipo de tela.

Processador

Existe muita mudança de nomes e marketing em cima do mundo de processadores de smartphones, de Snapdragons, passando por Hummingbirds até OMAP. Mas qual é a verdadeira diferença entre todos eles? Você pode até olhar as mínimas diferenças entre cada processador, mas o fato é que existem muitos fatores que influenciam a velocidade de seu smartphone, e o processador não é uma das principais coisas nas quais você deveria basear sua decisão de compra. Por exemplo, Android geralmente aumenta bastante a performance em cada upgrade da SO, então às vezes um celular que de fato receba atualizações pode rodar melhor do que um com um processador mais rápido. A maioria dos smartphones são bastante competitivos na área de processadores, pelo menos até onde importa para maioria dos usuários.

Claro que existem exceções para esta regra. Se você estiver fazendo muitos vídeos no seu smartphone, editando vídeos ou jogando algum game 3D hardcore, você vai querer procurar um bom processador (talvez até mesmo esperar pelos dual-core, agora que estes estão começando a aparecer em celulares Android). Entretanto, se você não pertence a esta categoria não caia no hype do Mercado. Uma melhor tecnologia de processadores é excelente, mas quando se trata de iniciar apps e mudar de telas, o launcher que você usa irá fazer muito mais diferença do que se você estiver usando um processador Snapdragon ou um Hummingbird.

Tipo de tela


Muitos fabricantes tem experimentado diferentes tipos de tela hoje em dia, como AMOLED, Super LCD e qHQ. Estas novas telas são uma faca de dois gumes – enquanto elas fazem seu smartphone parecer fantástico, elas também sugam a bateria como se não houvesse amanhã. Dito isto, a maioria dos celulares que são dignos de atenção hoje em dia vem com uma destas telas, então não adianta espernear por isso – apesar de que talvez você queira checar e ver como elas funcionam sob luz do sol direta, porque isto às vezes pode ser um problema.

Quanto às diferenças entre elas, o Engadget recentemente comparou a AMOLED e a Super LCD e descobriu que nenhuma delas era necessariamente “melhor” que a outra, apesar de que elas se sobressaem em algumas funções diferentes, mas por uma diferença bem pequena. Dito isto, AMOLED tem uma duração de bateria melhor do que a Super LCD, mas é melhor não basear sua decisão nisto. Há milhares de outras coisas que vão influenciar a duração da bateria, e um celular com uma tela Super LCD pode facilmente superar um celular com AMOLED devido ao tipo de bateria, velocidade do processador, qualidade de conexão, e outras características. Ao invés de estressar com tipo de tela, pesquise sobre a duração da bateria e compare isso (como mencionado acima).

Qualidade do acabamento e outras características convenientes


Como é difícil julgar a qualidade baseada em um monte de especificações em um website, isto vai ser uma das últimas coisas que você irá olhar, depois de ter reduzido suas opções. Antes de ir até a loja para dar uma olhada no aparelho, procure alguns reviews online. Você provavelmente vai ver superficialmente sobre algumas peculiaridades do dispositivo – como, por exemplo, tampa da bateria que fica caindo – e vai querer evitar esse tipo de coisa (ou pelo menos levar esse tipo de coisa em conta antes de tomar a decisão).

Depois, vá até a loja e brinque um pouco com ele. Não julgue um celular apenas em um papel – você vai ter que usar esse negócio pelo próximo ano ou dois, então observe do que ele é feito, se parece ser de má qualidade ou se é mais robusto, se o teclado físico é fácil de usar, quão pesado ele é, e se cabe no bolso de sua calça mais apertada.

Este também é um bom momento para perceber outras características diversas: um pequeno trackpad ou uma trackball, por exemplo, podem ser super úteis (porque colocar o cursor entre as letras e palavras é bem difícil antes do Android 2.3). Da mesma forma, se você quiser um teclado físico, isto limita suas escolhas. Se você não faz questão disso, eu pessoalmente evitaria, porque eles podem deixar o telefone bem mais grosso.

O tempo usando o celular é insubstituível, então definitivamente vá para a loja e brinque com alguns celulares por algum tempo. Parece óbvio, mas é surpreendente como as pessoas passam pouco tempo brincando com um celular ou dois antes de escolherem um. Você provavelmente vai ficar esperando na loja da operadora por uma boa meia hora antes de ser atendido de qualquer maneira, você pode aproveitar para testar o celular enquanto estiver por lá. Foto por Christopher Schmidt.

Recursos de hardware de nicho


Junto com o habitual hype de marketing, muitos fabricantes vão tentar apontar recursos únicos em seus celulares que, sinceramente, poucas pessoas estão buscando (mas novamente aumentam a lista de funções, fazendo com que ele pareça “o melhor smartphone do mercado”). Alguns exemplos que podemos citar incluem saída HDMI (apenas necessário se você quiser assistir os vídeos do seu celular direto na TV), câmeras frontais (Vídeo conversação ainda está longe de ser um padrão neste momento, então poucos de nós realmente usam isso), kick stands, alto-falantes secretos e por aí vai.

Suposta rootabilidade


Nosso estagiário Aaron Martin fala isso eloquentemente: “A melhor maneira de conseguir que algo seja hackeado é dizer que é inhackeável.” Enquanto alguns celulares podem ser um pouco mais fáceis de hackear do que outros, mesmo os celulares “inrootáveis” como o Droid X e o G2 foram rooteados pelos caras do XDA, então não se preocupe com a suposta rootabilidade de um celular quando você comprar. Alguém irá rooteá-lo. Eu estou convencido que os caras do XDA tem superpoderes e são invencíveis.

Apesar de essas regras não serem tão rígidas, o que nós aprendemos aqui é que as especificações de hardware mais anunciadas – como estas mostradas no gráfico do Droid-Life acima comparando os mais novos celulares 4G da Verizon – são menos importantes do que a qualidade do acabamento, do que sentir o smartphone de fato, e o software que vem com ele. Claro, as diferenças entre o velho G1 e o Galaxy S com Hummingbird de 1GHz são bem grandes, mas e as diferenças entre um celular com Snapdragon e o Galaxy S com Hummingbird? São mínimas, especialmente quando você começa a modificar seu launcher e as preferências da tela inicial.

O melhor conselho que podemos dar é fazer uma lista das funções que você precisa ter, diminuir sua seleção usando essa lista, e então ir até a loja e de fato usar os celulares o quanto você puder. Ler reviews é sempre uma boa idéia também, mas não é um substituto à altura de usar o celular de fato. Tem alguma dica para comprar Android? Divida com a gente nos comentários.

Republicado de http://lifehacker.com