Nós dissemos, no início de março, que o iPad reinaria sozinho este ano. Mesmo depois de surgirem inúmeros modelos na concorrência – Xoom, PlayBook, Galaxy Tab, Touchpad… – ele segue em um distante primeiro lugar. Os competidores de verdade, Nook Tablet e Amazon Kindle Fire, chegaram no final do ano com preço agressivo – mas por enquanto, o iPad reina sozinho em 2011. Sabe como a gente muda isso? Fingindo que o iPad não existe!

A NPD Group divulgou as vendas de tablets entre janeiro e outubro de 2011 nos EUA, mas resolveu retirar o iPad da lista. Nesse mundo sem Apple, a HP é a líder na venda de tablets, com 17% do mercado – é o efeito de baixar o preço do Touchpad para US$99. Em segundo lugar vem a Samsung, com 16%, seguida por Asus (10%) e Motorola (9%).

No total, os tablets não-Apple venderam 1,2 milhão de unidades. Volume alto? Que nada. John Gruber, do Daring Fireball, faz as contas. A Apple vendeu 25 milhões de iPads no mundo até setembro. Supondo que desse volume, 10 milhões foram vendidos nos EUA, a Apple chega a 89,3% de market share. Assim, a HP fica em segundo lugar com míseros 1,8%, por um tablet que eles cancelaram.

Mas por que a NPD fez isso? Para Gruber, o relatório serve “para descrever o mercado como sendo competitivo e complicado, e que portanto precisa da análise de especialistas da NPD”. Eles querem criar uma imagem de disputa pelo primeiro lugar – só que não há disputa, não este ano.

E o caso vai além. Imagine analisar o mercado de PCs e fingir que o Windows não existe. Isso é péssimo, e é praticamente o que a NPD fez. Agora imagine tirar Windows e Macs da análise. Sim, porque se o primeiro lugar nos tablets vai para o iPad, o segundo vai para o Nook Color, que roda Android e precede o Nook Tablet: segundo informações confiáveis, ele vendeu 3 milhões de unidades. A HP vendeu 204 mil. Mas o Nook Color não entrou na análise da NPD. (Kindle Fire e Nook Tablet só começaram suas vendas em novembro.)

No fim das contas, não adianta se enganar: o Windows é líder nos PCs, o Android está em primeiro nos smartphones, e o iPad domina os tablets em 2011. [NPD Group via Daring Fireball via Gemind]