Na última semana, o Brasil anunciou que a AECOM foi a empresa escolhida para desenhar o  Parque Olímpico das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. O plano, além de parecer bem bacana para o evento em si, também já faz previsões de como o local será modificado até 2030.

A AECOM é um escritório internacional muito respeitado — além de 2016, eles também desenharam o plano mestre das Olimpíadas de Londres, em 2012 e, aqui no Brasil, cuidam do plano para revitalização da Nova Luz, projeto gigantesco que deve ser encerrado apenas em 2027.

O local ficará em Jacarepaguá (que, segundo uma irritante música, fica longe pra caramba) e, pelas imagens, terá todo aquele ar futurista com grandes ginásios e estádios que as Olímpiadas costumam gerar nas cidades-sede — como foi o caso de Pequim. Lá, 15 modalidades olímpicas e 11 paraolímpicas serão disputadas.

Bacana é ver também que o projeto já contempla as futuras mudanças do local — há projetos de desenvolvimento e transformação da área até 2030 (a Folha fez um infográfico mostrando como ficará o local durante a transição, vale conferir). Talvez isso ajude a diminuir os elefantes brancos, algo comum no Rio de Janeiro após os Jogos Pan-Americanos de 2007; até hoje ginásios são subutilizados pela cidade. [Arch Daily]