As pessoas que foram ao ePrix de Buenos Aires da Fórmula E neste final de semana, testemunharam a história. A Roborace estreou o que está sendo anunciado como a primeira corrida competitiva entre carros autônomos numa pista profissional de Fórmula E. Como eles se saíram? Bem! Ou, pelo menos para o carro que ganhou.

• Minha primeira viagem num carro autônomo foi muito angustiante
• O Google está eliminando muitos daqueles projetos malucos

A Roborace é uma startup de poderosos carros de corrida autônomos e seu objetivo é testar os limites da nova tecnologia. Enquanto navegar por vias imprevisíveis e o trânsito do dia-a-dia é um desafio inimaginável, esses carros precisam lidar com decisões em frações de segundo a velocidades altíssimas.

Os “Devbots” que foram para a pista no sábado são a segunda versão dos modelos da Roborace. O primeiro foi batizado de “The Robocar” e tinha um visual afiado feito por Daniel Simon, um cara dos efeitos especiais de Holywood que foi o responsável pelos designs de veículos nos filmes Tron: O Legado e Capitão América: O Primeiro Vingador. Os Devbots não são tão bonitos quanto o The Robocar, mas eles podem ser dirigidos por um humano ou por um computador, o que permite uma ótima flexibilidade para os testes.

robocarProjeto do Robocar: Daniel Simon

A corrida de sábado provavelmente foi mais notável pela velocidade que os carros atingiram. Eles chegaram a 185 quilômetros por hora, perto dos 220 quilômetros por hora que os pilotos atingem em corridas da Fórmula E. Mas ainda assim, é impressionante que o software consiga lidar com manobras complexas de corridas numa velocidade dessa.

O Devbot 2 se saiu muito bem antes de bater numa barreira em uma das curvas. O Devbot 1 conseguiu completar a corrida e por isso foi o ganhador. Infelizmente, parece que a Roborace não está preparada para tornar esse teste público e não há nenhum vídeo oficial da corrida. Você pode ver a largada nesse vídeo publicado por um jornalista no Twitter, que estava no autódromo:

A Roborace espera criar uma liga no futuro, em que as equipes se enfrentarão com Robocars idênticos – alterações e ajustes no software serão o combustível da competição. Corridas como a de sábado é só o começo do processo de desenvolvimento. Entre os sucessos do teste foi descobrir como o carro reage ao encontrar um obstáculo no caminho:

É difícil dizer se esse vai ser um esporte em que as pessoas irão parar para assistir. Certamente haverá alguns puristas que irão dizer que isso não se trata de uma corrida real. Mas, lembre-se: é improvável que as batidas sejam eliminadas por completo. Então o drama de uma possível colisão ainda estará presente. Você simplesmente poderá ovacionar o espetáculo sem se preocupar com a segurança dos motoristas.

Abaixo estão algumas fotos do Driverbot 2 quebrado:

[Electrek]

Imagem do topo: Roborace