John McAfee fundou a empresa que criou o antivírus McAfee, e agora se tornou o alvo da Unidade de Supressão de Gangues (GSU) em Belize, onde ele mora. Ele diz que a GSU arrombou seu centro de pesquisas, matou seu cachorro, levou passaporte, algemou-o e o prendeu sob acusação de posse ilegal de armas.

A GSU disse ter encontrado dez armas de fogo no local, das quais uma estava sem a licença necessária; dois dos quatro guardas do local não tinham licença para ser seguranças; e um laboratório de McAfee aparentemente estava produzindo antibióticos de verdade sem autorização, o que fere a lei. A GSU admite ter matado um dos onze cachorros de McAfee, porque ele mordeu um dos policiais e atacou um soldado.

McAfee mora em Belize, país da América Central, e parece ser generoso com a comunidade. Em 2009, por exemplo, ele doou um navio de US$1,2 milhão para a guarda costeira de Belize. Mas em uma história que parece de um programa barato de TV, McAfee suspeita que foi vítima porque não doou dinheiro para um político corrupto.

O canal de notícias belizenho News 5 publicou um pronunciamento oficial de McAfee:

Na segunda-feira às seis horas, eu fui acordado com o som de um megafone. Eu saí e vi cerca de 30 membros da GSU em uniforme completo, com armas automáticas, entrando furiosamente no local e na entrada de garagem…

Eles começaram, com marretas, a quebrar as portas dos edifícios – nenhum deles estava trancado, mas eles simplesmente foram lá e quebraram mesmo assim… Eles confiscaram meu passaporte… algemaram a mim e a todo mundo, e por quatorze horas no sol, eu fiquei sentado sem comida ou água…

Eles assassinaram meu cachorro a sangue frio… Eu fui preso por uma acusação falsa de ter uma arma de fogo sem licença… Eles confiscaram meu passaporte e disseram que não estavam com ele. O dia inteiro foi um inacreditável pesadelo.

Toda a situação é realmente estranha, e mesmo vendo o lado da polícia, é difícil deixar de lado a suspeita de que corrupção tenha a ver com isso tudo. [News 5, News 5]

Foto por News 5