90 iPads de 64GB e com 3G serão comprados pelo governo mineiro. O objetivo? Fazer com que seus 77 deputados estaduais parem de gastar centenas de papéis diariamente. E, claro, também para dar um ar mais cool à Assembleia Legislativa do estado.

A justificativa parece justa: segundo Alaor Messias Marques Júnior, diretor de Planejamento e Coordenação da Assembleia, os deputados gastam mais de 100 folhas de papel por dia com ” a legislação básica, a agenda dos eventos e um clipping de notícias sobre a Assembleia”. No iPad, um ou dois aplicativos resolvem o problema sem derrubar tantas árvores.

Mas, sinceramente, precisava ser o modelo mais caro do iPad? Além de ser a versão de R$2.600, eles comprarão também 90 Smart Covers — tem que ficar bonitinho, né — e todos terão garantia estendida. Aliás, precisava ser um iPad? Conheço alguns modelos xing-lings com Android 2.2 que também têm leitor de texto e custam 20% do valor. O gasto total dos iPads, mais seis computadores da Apple (iMacs?) e dois scanners será de R$257 mil — salgado, não? Mas eles provavelmente estão seguindo a onda da presidente Dilma, que aparentemente aposentou de vez o notebook e agora anda para lá e para cá com seu iPad. [Folha]