Primeiro, as boas notícias: a Microsoft está diminuindo suas estritas padronizações de especificações para apoiar a entrada de Windows Phones bem baratos no mercado. A má notícia? Esses aparelhos terão alguns buracos negros no sistema. Mas, ei, é o preço que se paga.

A Nokia e a ZTE irão produzir Windows Phones com apenas 256MB de RAM, mas eles terão que eliminar alguns aspectos da experiência do WP Tango. Especificamente falando, apps “com processamento intensivo” (seus jogos favoritos) não funcionarão, você não poderá controlar podcasts, a troca rápida de apps foi eliminada, alguns codecs de vídeos HD também foram, o Bing Local Scout está fora, agentes de background também, e o upload automático de fotos para o SkyDrive também foi eliminado. Pedro Bial fará um discurso desconexo e cheio de citações para cada um de vocês.

Nós já discutimos como a memória RAM não importa, e isso é verdade — a partir de certo ponto. E esse ponto, aparentemente, é conhecido como 256MB. A proposta da Microsoft mira países como o Brasil, provavelmente. Nos EUA, por exemplo, o Lumia 900 aparentemente será vendido, em contrato de dois anos, por US$100 — bem mais barato do que o preço de vários Androids topo de linha, que chegam a custar US$300. Lá, a barganha já existe. Aqui, aparelhos de R$400, R$500, fazem muito sentido. [Windows Team Blog]