Lembro bem do primeiro produto da Logitech na minha família. Foi um mouse, praticamente do tamanho de uma pequena bola de futebol, com o formato de uma maçã comida pela metade e cor de ossos sujos. Ele rolava e clicava como deveria fazer. Mas não era um grande exemplo de design.

Avançamos duas décadas e percebemos que tudo mudou. Por muito tempo a Logitech foi lar de periféricos úteis e acessíveis, mas agora a empresa começou a produzir uma nova categoria de produtos: objetos belíssimos. Com um novo CEO que trabalhava junto com Dieter Rams na Braun, a empresa começou a apostar alto em bom design, e se apoia na filosofia geral de que as coisas funcionam melhor quando seu design é mais bonito. E agora, com um novo diretor de design e um trimestre inesperadamente lucrativo, a Logitech vai ainda mais fundo na sua abordagem centrada em design, e a sua nova linha de produtos mostra muito bem isso.

Um novo processo

Quando a Logitech contratou Bracken Darrell para comandar a empresa, ela sabia o que estava fazendo. Darrell é fanático por design e costumava se encontrar com Dieter Rams nos seus tempos de Braun. Apesar da admiração de Darrell, a conexão com a Apple se encerra por aqui. Quando assumiu o posto de CEO em janeiro deste ano, Darrell tomou uma série de medidas de estrutura organizacional para modificar o que ele chamada de “decisões amplas de design”. Ele demitiu o chefe de produtos e começou a participar das reuniões de design.

“Não sou Steve Jobs. Não sou especialista em design como ele era”, explicou em uma entrevista. “Meu envolvimento direto não é para ser um mago do design, e sim para desafiar o design da forma como ele é feito, desafiar as suposições, desafiar a estética, a harmonia das coisas todas.”

Sobre os tempos dos produtos desajeitados dos anos 90, Darrell rapidamente apontou para o fato de que a Logitech não necessariamente focava no design. O foco estava lá há 20 anos, mas o design era diferente naquela epoca. A Apple mudou tudo isso quando apresentou os iMacs coloridos, já que eles mostraram à indústria como os consumidores responderiam a design diferente. “Se mudamos em algum ponto desde então”, Darrell disse, “foi que deixamos claro a nossa ideia de ter um bom design. Estamos bem focados em melhorar nosso design.”

Agora, a Logitech trabalha com três ou quatro empresas de design durante o processo de criação, e Darrell participa de tudo para dar a sua aprovação final. Não é um processo perfeito, no entanto. Nem todos os nossos produtos são bonitos”, explicou. “Não ainda”.

Uma nova classe de produtos

A filosofia centrada em design da Logitech pode ser muito bem observada no UE Boom, um speaker Bluetooth portátil com o formato de uma lata de energético. Lançado há dois meses, o Boom se junta a uma categoria bem cheia, com dispositivos como os famosos Jawbone Jambox. O Boom é, na verdade, bastante como o Jambox. Ele se conecta ao seu smartphone ou laptop via Bluetooth e toca músicas com volume bem alto. Ele também pode ser usado como um viva-voz para o smartphone. Diferentemente do Jambox, no entanto, ele realmente funciona – o Jambox é conhecido por não ser confiável – e funciona bem. Além disso, é bem agradável para os olhos e também para segurar. Ele é embrulhado em uma malha à prova d’água, e o controle de volume está em um dos cantos, facilitando o alcance dos dedos.

original

Esta abordagem touch-friendly também aparece em outros produtos, como os speakers Bluetooth Z600 para desktop. Estas mini-torres brancas parecem que foram projetadas quase que exclusivamente para lembrarem produtos da Apple, e o efeito não é muito diferente do que vemos no UE Boom. Os speakers são altos, com o controle de volume posicionado na parte superior do speaker direito. Gire seu dedo no topo e o volume aumenta ou diminui.

original

A linha de produtos deste ano ainda inclui o teclado FabricSkin Folio para iPad. O dispositivo serve tanto como um case para iPad com um acabamento suave como também uma proteção robusta para o tablet. Quando é montado, o dispositivo lembra um livro, mas ele também se desdobra para uma combinação de um suporte e um teclado com teclas grandes que lembram as do seu laptop. O que realmente é impressionante aqui é como tudo se encaixa graças a alguns imãs invisíveis.

original (1)

Mas, como Darrell admitiu, nem todos os produtos da Logitech são bonitos. Para cada item brilhantemente projetado, ainda existem uns dez na linha da empresa que poderiam ser refeitos. Como os speakers Z623. O sistema de alta performance custa mais ou menos o mesmo que o Z600, mas em vez de lembrar algo que poderia aparecer em um anúncio da Apple, parece mais alguma coisa feita por principiantes.

Mas este ano é o começo de uma nova linha de produtos que representarão uma nova era para a Logitech. Mas é importante ter em mente que bom design não é tudo. Só porque uma coisa é bonita, não significa que funcione bem (e vice-versa). Para a transição da Logitech para se tornar uma empresa mais focada em design, eles também precisam melhorar as funcionalidades e garantir que estão oferecendo aos consumidores mais do que um pacote bonito.