O velho e bom amigo papel deixará de ser utilizado para a publicação do Diário Oficial da União. Já são 155 anos de tinta despejados nas folhas, mas chegou a hora da versão física se aposentar e deixar todo esse trampo para o Diário digital. A partir de hoje (1º), as publicações serão realizadas exclusivamente na internet – o modelo digital, inclusive, já existe há 20 anos.

• Você não pediu, mas a Câmara está tentando tornar obrigatório o rádio FM nos smartphones
• Depois da CNH Digital, governo planeja desenvolver uma versão virtual do título eleitoral

A última edição em papel foi distribuída na última quinta-feira (30), com 240 páginas e em sua sobrecapa fazia sua despedida solene: “Desde 1º de outubro de 1862, o Diário Oficial da União imprime boa parte da história do Brasil. Atos como a sanção da Lei Áurea, a Proclamação da República, o direito ao voto feminino, a redemocratização e todos os atos dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário dos últimos 155 anos estão aqui impressos”.

Mas não tem motivos para a tristeza, afinal essa versão não era nada sustentável. Todos os anos a União utilizava 720 toneladas de papel por ano, quase 11 mil árvores, com um custo estimado de R$ 2,5 milhões. Fora isso, ainda havia gasto com água e distribuição, o que elevava o custo para cerca de R$ 12 milhões por ano.

Agora dá para você checar o Diário Oficial no site da Imprensa Nacional.

[Valor]

Imagem: Wikimedia