Um dos motivos que fez a Apple desistir do Touch ID no iPhone X passará a se tornar uma realidade em breve, pois como anuncia a Synaptics, leitores de impressão digital que funcionam diretamente no display estarão disponíveis a partir de 2018.

Uma função secreta do iOS 11 desabilita o Touch ID para manter a sua privacidade
Face ID da Apple levanta muitas questões – aqui estão algumas respostas

A Synaptics, empresa responsável pela tecnologia de leitura de digitais de milhares de laptops e smartphones do mundo, anunciou esta semana que deu início a produção em massa do identificador de impressões que fica debaixo da tela do dispositivo.

Nomeada de Clear ID, a tecnologia deve funcionar da mesma maneira que os leitores instalados nos botões home de smartphones, como já acontece com iPhones e celulares da série Galaxy S da Samsung (com exceção do iPhone X e Galaxy S8).

Segundo informações do The Verge, o sensor que permite tal façanha – chamado de FS9100 — foi anunciado há exatamente um ano pela Synaptics. No entanto, problemas na implementação da tecnologia fizeram a Samsung abandoná-la de última hora no Galaxy S8, posicionando o leitor de digitais na traseira do principal celular da companhia para 2017. Além disso, rumores que a Apple precisou abandonar a tecnologia por completo, focando exclusivamente no Face ID, também foram reportados.

Agora, o novo FS9500 entrará em produção em massa para uma das cinco principais empresas do ramo, segundo a Synaptics – significando que a tecnologia estará disponível para a Apple, Samsung, Huawei, Oppo ou Xiaomi – a última sendo uma forte candidata a ter encomendado o sensor, haja vista seu pioneirismo na aplicação de novas tecnologias e em celulares sem bordas.

A tecnologia por trás do novo sensor vem acompanha de uma série de funções de segurança, incluindo uma que usa inteligência artificial para distinguir impressões falsas de verdadeiras, além de leitores adaptáveis e diversas combinações de protocolos de autenticação.

Kevin Barber, vice-presidente sênior da divisão mobile da Synaptics, afirma em um comunicado à imprensa que os sensores Clear ID são mais rápidos, mais convenientes e mais seguros que outras tecnologias biométricas disponíveis no mercado, além também de representar uma “grande mudança e oportunidade para o mercado de smartphones”, disse o vice-presidente. “Consumidores preferem ter a autenticação na parte frontal do aparelho, e com a indústria rapidamente optando pelos displays OLED sem bordas, o posicionamento natural dos sensores de impressões digital acaba sendo na própria tela”.

Independente de quem esteja produzindo o sensor em parceria com a Synaptics, devemos ver os primeiros dispositivos com telas que podem ler impressões digitais já em 2018.

É definitivamente uma ótima notícia para a Samsung, que poderá retirar o leitor de digitais do lado da câmera traseira do seu próximo aparelho topo de linha, e talvez seja a hora da Apple introduzir o Touch ID no sucessor do iPhone X, mas teremos que aguardar para ver.

[The Verge, Synaptics]