Faz mais ou menos dois anos que a Amazon divulgou um estranho vídeo detalhando os planos de conquistar os céus com uma frota de drones entregadores de encomendas. Continuamos aguardando o dia em que estas aeronaves automatizadas substituirão caminhões e funcionários de entrega, mas a Amazon deixa claro que não deixou a ideia de lado. Nesta semana, a companhia recebeu a patente da tecnologia que permite, no caso de uma emergência, aos seus futuros drones se autodestruírem para proteger quem estão no chão.

Segundo a patente, caso um drone já esteja em queda livre “a fragmentação direta dos veículos não tripulados” permitiriam a ele se dividir em múltiplas peças mais leves que atingiriam o solo de uma maneira mais segura que um único e pesado objeto.

Outros detalhes da patente descrevem a fragmentação e os controles de voo que analisariam o trajeto de queda do drone enquanto sistematicamente usa força explosiva para desmanchar a aeronave no ar, se baseando nas condições do terreno, voo, entre outras.

Por mais estranho que isso possa parecer, é preciso ter em mente que isso é apenas uma das várias ideias malucas da Amazon, incluindo depósitos inteiros carregados por dirigíveis e um arranha-céu de drones.

Mas parece que a patente da Amazon excluiu um grande detalhe: sim, o drone pode explodir, mas o que acontece com a encomenda que ele carregava? Mesmo se a aeronave explodir em milhares de pedaços, quem está no chão ainda precisaria tomar cuidado com o que o drone estava entregando. Mas parece que a Amazon também pensou nisso e resposta para esta questão é… paraquedas? Parece ser apenas questão de tempo até a invasão de drones entregadores de encomendas chegar.