Tem vez que parece que sabemos assustadoramente pouco sobre nosso planeta. Por exemplo, a gente literalmente deixou passar algumas linhas de Nazca, talvez um dos mais reconhecíveis e misteriosos pontos de referência antigos no mundo. Ainda bem que uns arqueólogos agora encontraram “novas” linhas de Nazca, contando com a ajuda de drones.

Um cara dirigiu sobre as Linhas de Nazca e foi preso

As linhas de Nazca são um mistério arqueológico de dois mil anos preservado no sul do Peru. Elas consistem em imagens enormes desenhadas no deserto, em forma de pássaros, macacos e humanos.

Sobre a descoberta usando drones, noticia a National Geographic:

Agora, arqueólogos peruanos armados de drones descobriram mais de 50 novos exemplos desses monumentos misteriosos do deserto na província de Palpa, traçadas na superfície do solo em linhas quase finas demais para se ver com o olho humano. Além disso, arqueólogos pesquisaram localmente geoglifos conhecidos com drones pela primeira vez, mapeando-os em detalhes nunca antes vistos.

Algumas das linhas recém-descobertas pertencem à civilização de Nazca, que dominou a área de 200 a 700 d.C. Entretanto, arqueólogos suspeitam de que as civilizações prévias Paracas e Topará esculpiram muitas das novas imagens encontradas entre 500 a.C e 200 d.C.

Nat Geo noticia que as origens da descoberta começaram quando o Greenpeace vandalizou e danificou as linhas para conseguir atenção em 2014. O Peru recebeu dinheiro dos Estados Unidos para ajudar a consertar o local histórico. Arqueólogos liderados pelo ex-vice-ministro de herança cultural Luis Jaime Castillo encontraram as novas linhas com a ajuda de dados da iniciativa de ciência cidadã GlobalXplorer, da exploradora Sarah Parcak, do Nat Geo.

Drones encontraram o que satélites não conseguiram, já que dezenas de novos geoglifos eram finos demais para serem observados da distância de um satélite e fracos demais para que o olho humano pudesse ver. Pode haver até mais linhas a serem descobertas, conforme a pesquisa da GlobalXplorer continua.

Com sorte, a descoberta vai ajudar pesquisadores a entender melhor o propósito dessas linhas, disse Kristin Romey, repórter e editora de arqueologia do Nat Geo, em entrevista ao Gizmodo. Isso também mostra como os avanços tecnológicos estão nos ajudando a explorar nosso planeta e a encontrar coisas incríveis que sempre estiveram por aqui.

Romey afirmou: “Esta é realmente uma nova era da exploração”.

Agora é torcer para que ninguém passe com um caminhão por cima dessas linhas.

Imagem do topo: Luis Jaime Castillo, do Projeto Palpa Nasca (Nat Geo)