Em outubro de 2015 o Dropbox anunciou seu plano para continuar sobrevivendo: um editor de texto colaborativo nos moldes do Google Docs. O objetivo da empresa é diversificar a atuação, já que o mercado de armazenamento na nuvem tem ficado muito acirrado e os concorrentes possuem soluções do gênero. Depois de pouco mais de um ano de desenvolvimento, o Paper saiu do beta e agora está disponível em 21 idiomas.

• O plano do Dropbox para sobreviver é um concorrente do Google Docs chamado Paper
• Como é usar a digitação por voz no Google Docs

A principal característica do Paper é o visual simplificado. Ele é todo desenhado para facilitar a diagramação dos documentos e os recursos funcionam basicamente ao comando de arrastar e soltar links, arquivos, imagens e outras mídias. Dá para adicionar textos, tabelas, imagens e conteúdos incorporados da web – como um vídeo do YouTube ou uma música do SoundCloud) e colaborar com outras pessoas. Assim como o Google Docs, o Paper é uma ferramenta colaborativa e há elementos para comentar partes do conteúdo e citar membros usando @ (igual ao Twitter). Atribuir tarefas e determinar prazos de entrega é bem fácil, similar à ferramentas como o Trello.

O desenvolvimento do Paper continua cuidadoso, tudo é distribuído aos poucos e há bastante pesquisa sobre o que os usuários querem ver na ferramenta. O Dropbox ainda estão trabalhando num modo offline para os aplicativos para iOS e Android, e um painel de projetos completo para gerenciar times.

dropbox-paper-gif

Junto com o Paper, o Dropbox preparou a chegada do Smart Sync, que permite visualizar uma prévia dos seus arquivos e pastas que estão armazenadas na nuvem direto no desktop do computador, sem precisar baixá-los. A ideia é tornar tudo acessível sem precisar alternar para o navegador.

O Dropbox Paper é gratuito na versão web e nos aplicativos para iOS e Android. No entanto, as funcionalidades administrativas só estão disponíveis para os assinantes dos planos Business e Enterprise. O Smart Sync também só está disponível para quem tem o plano Business e é preciso ainda fazer parte do programa de acesso antecipado.

[The Verge via Dropbox]