Em meio à terrível guerra civil Síria, um engenheiro da computação aliado ao grupo rebelde criou um robô de controle remoto para ajudar a socorrer vítimas em meio à guerra urbana no país.

Ahmad Haidar passou os últimos meses desenvolvendo o pequeno aparelho para ajudar nos resgates em parceria com Belal, um engenheiro e amigo de infância. Em julho de 2012, ele viu um jovem rapaz tentar ajudar uma mulher ferida pelo exército sírio e não podia fazer nada para auxiliar no resgate. Desde então, passou a usar seus conhecimentos em programação e robótica para desenvolver este pequeno robô com grandes braços mecânicos.

Ele recebeu o nome “Tena”, em homenagem a uma finlandesa por quem Haidar se apaixonou durante um voo. Tena foi criado para chegar até pessoas feridas em combates e transportá-las para macas em um compartimento blindado, para que elas sejam levadas para um lugar seguro e recebam o tratamento necessário.

Mas Tena ainda não está pronta. Recentemente, ela ganhou seus enormes braços mecânicos – componente extremamente complexo e necessário para o seu fim principal. O desenvolvimento continua e está cada vez mais complicado. Não apenas devido à dificuldade em adquirir algumas peças, mas também pela questão financeira. Haidar tentou, pelo site robotena.org, levantar fundos para seu projeto, mas não conseguiu. Agora ele está usando suas economias pessoais para isso. Mas uma hora elas acabarão.

Atualmente, ele mora na Turquia para fugir da guerra civil, mas frequentemente visita seu país para buscar apoio para seu projeto. Mas não é fácil. O grupo rebelde, por exemplo, se ofereceu a ajudar, mas, em troca, Haidar desenvolveria armas para ele. Ele recusou.

Mas ele não desiste. Ele tem certeza que um dia Tena estará pronta para ajudar feridos na guerra civil. Quando isso acontecer, Haidar não estará lá para ver: ele planeja se mudar para a França, onde sua mulher, Isabelle, vive. “Viverei em uma fazenda com três cães e a mulher que amo”, explica. [The Guardian]

Foto via robotena.org