Um cientista maluco, incomodado com o nível de imperfeição e improviso do futebol, cria clones que que praticam o “futebol perfeito”. Isso transforma o jogo em algo muito entediante, e as principais estrelas arrumam outros empregos: Wayne Rooney, por exemplo, vira estivador, Neymar, cabeleireiro.

Quer saber o que acontece? Veja o vídeo lá na Trivela: http://trivela.uol.com.br/esse-comercial-espetacular-mostra-que-perfeicao-nao-tem-vez-futebol/