Após mandar robôs a marte, o Laboratório de Propulsão a Jato da NASA mostrou ao mundo que hardwares de bilhões de dólares não são sempre a resposta para nossos problemas. E os pesquisadores da EPFL estão usando a mesma tecnologia em uma abordagem acessível com um drone voador autônomo de baixo custo que simplesmente bate tudo no seu caminho em vez de usar sensores caros e software para evitar obstáculos.

Talvez inspirado pela técnica das moscas comuns que simplesmente batem em janelas até encontrar uma saída, o drone usa uma jaula que protege seu propulsor e motor interno.

ku-xlarge

Projetado para voar por áreas perigosas como em desastres, o drone pode oferecer reconhecimento aéreo conforme navega aleatoriamente entre dois pontos. E mesmo que não necessariamente caminhe na rota mais previsível, a vantagem desta abordagem de baixo custo é que não há problema caso ele se danifique no processo – afinal, ele é de baixo custo. É fácil consertar e barato para substituir caso seja completamente destruído.

O vídeo abaixo explica um pouco da tecnologia por trás do drone:

A armação circular é giratória, e ele conta com uma segunda armação interna que se mantém sempre estável mesmo após colisões. Ele é feito com fibra de carbono e ainda conta com uma câmera na parte superior para filmar o que está no seu caminho. Lembra bastante a speeder bike de Star Wars depois de alguns drinques, não lembra?

ku-xlarge (1)