A DARPA, agência de pesquisa ligada ao Departamento de Defesa dos EUA, começou investigar o uso de mídias sociais e o comportamento dos seus usuários, e está analisando dados de pessoas do Facebook, Twitter e outros lugares para determinar a influência desses meios na disseminação de informações.

No site da DARPA, um dos responsáveis pelo estudo, Rand Waltzman, destaca o objetivo do estudo. A DARPA quer examinar dicas linguísticas, padrões de fluxo de informação e detecção de sentimento ou opinião em informações que correm pelas mídias sociais para combater “desinformação e campanhas de ilusão com informações confiáveis”.

>>> Detector de mentiras vai identificar rumores espalhados pelas redes sociais

A revelação do programa levanta algumas suspeitas. Afinal, não é difícil imaginar que, ao identificar como desinformação se espalha pelas redes sociais, a DARPA use isso para manipular usuários, conduzindo campanhas de propaganda com a mesma eficiência que as coisas viralizam hoje em dia. Waltzman tenta abafar um pouco essa possibilidade e diz que o objetivo é “desenvolver uma nova ciência de redes sociais construída em uma base de tecnologia emergente”, seja lá o que isso signifique.

O Guardian questionou o programa, e, a DARPA se defendeu, dizendo que muitas vezes pessoas se organizam em grupos de interesse em redes sociais com objetivo de “atingir os Estados Unidos”.

Não é um caso de espionagem pura como a feita pela NSA, e sim uma análise de como a informação flui – o que não significa que devemos ficar tranquilos com isso tudo. [Wired, The Guardian]