Durante as missões exploratórias na fossa das Marianas em 2014 e 2015, cientistas gravaram sons misteriosos que chamaram de “Som Biológico do Pacífico Ocidental”. Uma nova pesquisa expõe a causa desses ruídos estranhos vindos das profundezas.

Os ruídos recorrentes são uma mistura estranha do biológico e do mecânico, levando a uma confusão sobre sua causa provável. Os sons de cinco partes, que não duram mais que 3,5 segundos, incluem gemidos profundos em frequências tão baixas quanto 30 Hz, e um final estranhamente metálico que atinge frequências tão altas quanto 8.000 Hz.

Confira a gravação:

Um novo estudo publicado no Journal of the Acoustical Society of America sugere que esses sons estão sendo produzidos por uma espécie de baleia, provavelmente baleias-minke – e este é um chamado completamente novo para os cientistas.

“É muito distinto, com todas essas partes loucas”, observa Sharon Nieukirk, especialista em bioacústica marinha da Oregon State University, em um comunicado. “A parte de gemidos de baixa frequência é típica de baleias, e é esse tipo de som vibratório que o torna realmente único. Não encontramos muitos chamados de baleias.”

De acordo com a nova pesquisa, o Som Biológico do Pacífico Ocidental se assemelha mais ao chamado som “Star Wars” produzido por baleias-minke na Grande Barreira de Coral ao largo da costa nordeste da Austrália:

Os sons também se parecem com “boings” feitos por baleias no Pacífico Norte e pulsos de baixa frequência feitos por baleias no Atlântico Norte. As semelhanças entre o Som do Pacífico Ocidental e estes sons sugere que baleias são responsáveis ​​pelo chamado único.

Todos esses chamados de baleias tendem a ter uma estrutura complexa, uma varredura de frequência dramática e um acabamento metálico. Ainda assim, questões permanecem.

“Se este é um chamado de acasalamento, por que ele está sendo transmitido o ano todo? Isso é um mistério”, diz Nieukirk. “Precisamos determinar quantas vezes o chamado ocorre no verão contra no inverno, e quão amplamente este chamado é realmente distribuído.”

qfawwii1bwtxo2hb5aq9
Representação visual do chamado de baleia, mostrando cinco partes distintas. (Imagem: S. L. Nieukirk et al., 2016)

Esta não é uma tarefa fácil, dada a natureza elusiva destas baleias de mar profundo. As minkes são uma espécie de porte relativamente pequeno, e elas não passam muito tempo na superfície. Elas têm um sopro muito discreto, e muitas vezes nadam em áreas onde o alto mar dificulta as observações. E mais dados são necessários para confirmar que as minkes estão realmente fazendo esses ruídos.

“Nossa esperança é montar uma expedição para sair e fazer uma localização acústica, encontrar os animais, obter amostras de biópsia e descobrir exatamente o que está fazendo o som”, disse Nieukirk. “É realmente um som surpreendente, estranho, e a ciência vai explicar isso.”

[The Journal of the Acoustical Society of America]

Primeira imagem: baleias-minke foram identificadas como uma possível fonte dos sons estranhos (Universidade Estadual de Oregon)