Depois de anos num vai-e-vem, a FAA (espécie de Anac americana) finalmente permite às companhias aéreas que liberem o uso de equipamentos eletrônicos durante todo o voo. A medida só entrará em vigor daqui a algumas semanas nos EUA, mas pode impactar outros países, como o Brasil.

Aqui, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) permite usar equipamentos eletrônicos no avião, exceto durante o pouso e decolagem. Durante todo o voo, eles precisam estar no modo avião ou desligados. A justificativa? É “para que eles não causem interferência nos sistemas de aeronave e mantenham a segurança do voo”. Agora que os EUA decidiram liberá-los durante todo o voo, essa regra pode mudar no Brasil.

Nos EUA, a proibição de eletrônicos começou em 1991, quando tanto a FAA como a FCC (espécie de Anatel americana) restringiram o uso de celulares em aviões. Na época, esses aparelhos eram enormes e ninguém sabia totalmente como eles funcionavam. Melhor prevenir do que remediar, certo?

Mas em 1992, as agências realizaram testes reais para ver se havia razão para se preocupar. As ondas eletromagnéticas emitidas pelo celular interferem nos instrumentos do avião? Surpresa: não interferem. Mesmo assim, as autoridades decidiram ignorar isso nos EUA. As duas agências, FAA e FCC, mantiveram a proibição nos últimos 20 anos.

Nesse meio tempo, houve apenas um caso na história da aviação em que um celular foi comprovadamente perigoso. Em 2009, um copiloto se distraiu quando seu celular tocou, porque ele se esqueceu de colocá-lo no vibracall – nada relacionado com as ondas eletromagnéticas. Por todos esses motivos, a liberação de celulares nos aviões faz sentido.

No entanto, ela não começará a valer imediatamente nos EUA: as companhias aéreas ainda têm que provar à FAA que seus aviões de fato permitem o uso seguro de todos os dispositivos eletrônicos. Mas a agência espera que a maioria delas – se não todas – sejam aprovadas até o final do ano.

Uma vez que as companhias aéreas tiverem essa aprovação, os dispositivos eletrônicos pessoais, tais como e-books, consoles portáteis, laptops etc. finalmente serão permitidos, com algumas limitações. Em casos de baixa visibilidade, por exemplo, a tripulação pode pedir aos passageiros que desliguem seus dispositivos durante o pouso. Além disso, itens pesados (como laptops) ​​terão de ser armazenados de forma segura durante pouso e decolagem; isso é apenas para evitar que os passageiros se machuquem.

Vale notar que, nos EUA, ainda é proibido fazer ligações no celular dentro do avião: “Os telefones celulares… não podem ser usados para comunicações de voz com base em regulamentação da FCC, que proíbe as chamadas no ar usando telefones celulares”.

E recomenda-se que você mantenha o seu celular em modo avião. Afinal, de acordo com um porta-voz da FAA, você vai só “chegar ao seu destino com a bateria zerada no celular” – ele tentará encontrar sinal a 30.000 pés de altura, gastando energia no processo. Mas se você quiser deixá-lo ativo, sem problema: como já suspeitavam, não há absolutamente nenhum problema de segurança ao fazer isso. [FAA]