Olhar uma publicação de uma pessoa interessante, dar uma vasculhada em seu perfil e depois enviar a mensagem despretensiosa: “oi, sumida”. Mas e as chances de rolar aquele constrangimento, ser ignorado ou, pior, ser rechaçado? Se o recurso que o Facebook está testando no Messenger for para frente, será mais difícil sentir algum arrependimento. Nas últimas semanas, a rede social tem testado uma funcionalidade que pergunta se você está a fim de se encontrar com alguns dos seus amigos. E a maneira como isso funciona é bem similar ao Tinder.

• O Stories do Facebook também pode ser visto em navegadores
• Agora é possível acessar o Instagram Stories pela web

Basicamente, funciona assim: uma janelinha aparece dizendo “[Nome] e mais outras pessoas querem se encontrar nesta semana”. Se você segue em frente, aparecem fotos dos seus amigos na rede social e a pergunta: “Quer se encontrar com [nome] esta semana?”, indicando que a sua resposta é privada e que só apareceria para a outra pessoa caso os dois dissessem “sim” (igual ao “match”, dos apps de encontros). Se você escolher “não”, ninguém fica sabendo das intenções.

Imagem: Motherboard

Um repórter do Motherboard, Jabob Dubé, conseguiu testar a novidade, que está em beta e disponível apenas para alguns usuários em Toronto, no Canadá, e na Nova Zelândia, tanto para usuários do iOS quanto do Android. A informação foi confirmada por um porta-voz do Facebook, por meio de um email.

Apesar da dinâmica ser muito parecida com a do Tinder, o recurso do Messenger tem uma grande diferença, mostrando apenas as pessoas que são seus amigos no Facebook. Além disso, Dubé indica que a plataforma não mostrou apenas potenciais interesses amorosos, mas também amigos próximos, encorajando as pessoas a saírem e conversarem na vida real.

A intenção do Facebook pode não ser a criação de uma espécie de aplicativo de encontros, mas a gente já pode ter uma ideia do contorno que isso ganhará quando chegar para todos os usuários.

[Motherboard]

Imagem do topo: Alessandro Junior/Gizmodo Brasil/Wikimedia Commons