Uma falha nos tubos de Pitot — pequenos sensores de medida de pressão que ficam na parte frontal dos aviões e são cruciais para o voo em piloto automático — surge como uma das principais teorias para explicar o acidente do Air France 447, que partiu do Rio de Janeiro, em 2009. As últimas análises da caixa-preta confirmam que informações inválidas foram fornecidas pouco antes de o avião cair.

De acordo com a CNN, as investigações da polícia francesa indicam que os sensores enviaram inforamações incosistentes para os sensores de espera do avião, fazendo o Airbus A330 travar a 38 mil pés de altura e cair. Mas apesar de os dois pilotos estarem no cockpit no momento do problema, os investigadores ainda não sabem porque eles tentaram levantar o nariz da aeronave, e não abaixá-lo para recuperar a perda — para deixar o avião na posição ideal, o procedimento padrão seria colocar em 5 graus o nariz do avião e manter a velocidade em 85% de sua potência. Em outra informação da caixa-preta, revelada hoje, um dos pilotos diz: “não estou entendendo mais nada”. [CNN]