Ah, agora isso faz muito mais sentido. A Foxconn aumentou o salário dos funcionários em 30%, e depois mais 66% em cima disso – mas agora cortou a indenização para as famílias dos falecidos.

O CEO Guo Tai-ming confirmou que a indenização recebida pelas famílias dos que cometeram suicídio (equivalente ao salário de dez anos, 110.000 yuan ou cerca de R$30.000) não seria mais oferecida, esperando acabar com o motivo pelo qual muitos resolviam cometer suicídio. A possibilidade de obter um aumento de 66% dependendo da performance deve aumentar como nunca a motivação entre os funcionários.

O CEO da Foxconn também anunciou que quer mudar algumas fábricas da China para Taiwan ou pro Vietnã, quem sabe para não encher ainda mais a já populosa fábrica em Shenzhen. [News.163.com e Huanqiu via Engadget]