Em sua trajetória de dominação mundial, o Google vem investindo em áreas bem além de pesquisas online, como se pode ver no Android e no Chrome OS. Mas criar uma subsidiária para comprar e vender energia elétrica? A Google Energy LLC recebeu esta semana autorização para fazer justamente isso. Será que o Google estará até nas contas de luz?

O Google pediu permissão para comercializar eletricidade à FERC, espécie de Aneel americana, em dezembro do ano passado, e recebeu nesta quinta-feira a autorização para comprar e vender energia elétrica. Hoje, o Google não tem usinas de geração de energia — mas, no futuro, vender energia é uma possibilidade. Segundo um porta-voz do Google: “Não temos planos concretos. Queremos a capacidade de comprar e vender eletricidade, caso isso se torne parte de nosso portfólio”.

O interesse maior, por enquanto, parece ser adquirir energia para consumo próprio. Esta jogada do Google parece repentina, mas a empresa manifesta interesse em energia há anos, especialmente em energia renovável e que respeite o meio-ambiente. A empresa já declarou várias vezes que quer ser carbono-neutro, vem investindo milhões em pesquisas e empresas com projetos nesse sentido, além de desenvolver projetos próprios — como a instalação de 1,6 megawatts que capta energia solar no campus do Google.

Agora, com a autorização da FERC, eles têm mais liberdade para adquirir energia renovável e seguir com os planos de subjugar a raça humana — enquanto respeitam a natureza. [CNET via Folha]