A partir de janeiro o Google Chrome para Windows será um pouco mais fechado: não será mais possível instalar extensões no navegador que não estejam hospedadas na Chrome Web Store.

O Google anunciou a mudança no blog oficial do projeto Chromium. A ideia é proteger os usuários do seu navegador de potenciais malwares disfarçados de extensões instaladas por fora da Web Store – o Google consegue controlar o que é malicioso ou não quando as extensões são submetidas à Chrome Web Store.

A mudança será válida a partir de atualizações de janeiro tanto da versão final estável do Chrome quanto nas que estão em fase beta.

Segundo o Google, a ação foi tomada para evitar que extensões sejam instaladas sem consenso do usuário, não apenas quando são maliciosas, como também quando modificam as configurações do navegador sem que você queira. Extensões que mudam a página inicial, por exemplo, são a principal reclamação dos usuários do Chrome para Windows, diz o Google.

Para quem oferece as extensões por fora da Web Store, o Google recomenda migrá-las para a loja o mais rápido possível. Este guia (em inglês) ajuda no processo. Não é trabalhoso, mas exige uma pequena taxa de inscrição de US$ 5. [Chromium Blog via TechCrunch]