John Herlihy, o grande chefe da Google Europa, diz que os desktops serão irrelevantes em três anos. É precisamente por isso que a Apple e o Google estão tentando matar um ao outro, brigando ferozemente para dominar o mundo de dispositivos móveis.

Ambas as empresas sabem que a computação móvel é onde as coisas acontecem hoje, e onde ela ficará para sempre. Na apresentação do iPad, Steve Jobs foi rígido em dizer que o tablet deles era a continuação da batalha iniciada com o iPhone, e disse várias vezes que a Apple é uma "empresa de dispositivos móveis". O Google concordou, e por isso Herlihy ecoou as palavras de Eric Schmidt, CEO do Google, no Mobile World Congress em Barcelona: tudo que o Google está fazendo e planejando fazer está centrado no mundo móvel, na nuvem, e em conectividade em qualquer lugar.

Ambos estão certos: seu computador de mesa vai desaparecer, não importa o quanto geeks chorem por causa disso, a menos que você seja um engenheiro ou alguém que precise de uma tela grande para trabalhar — e, mesmo assim, a ideia do desktop como o conhecemos vai mudar também. O mouse se tornará extinto, e todo usuário comum vai trabalhar e se divertir usando dispositivos móveis como celulares e tablets. E deve ser assim mesmo, porque o computador tem que se tornar invisível, não complicado e incômodo, como é hoje. Daqui a alguns anos, o mundo da computação será como em Star Trek: The Next Gerenation, mas sem a Enterprise. [Silicon Republic]