A CNN fez uma matéria sobre um novo fenômeno no Vale do Silício: pais que trabalham na indústria da tecnologia estão colocando seus filhos em escolas criadas para evitar a tecnologia. Na escola mostrada na reportagem, a escola Waldorf da Peninsula, não há nenhum computador por lá.

Esses pais, como o executivo do eBay que aparece na matéria, acreditam que há tempo para tecnologia fora da escola, e que as salas de aula devem ser um lugar mais social, com atividades de aprendizado mais naturais. Crianças jogando bolas. Tocando instrumentos. Nas escolas Waldorf espalhadas pelo mundo, uma aversão à tecnologia não é uma diretriz básica. Trata-se apenas de um subproduto para um formato diferente de educação.

Há certo apelo aqui. Crianças sem dúvida devem usar seu tempo correndo por aí. E, como os pais entrevistados admitem, há muito valor em aprender ciência sem um computador. Mas precisa ser assim, tudo ou nada? Uma escola deve ser competente o bastante para incorporar importantes e educacionais aspectos da tecnologia. A tela é capaz de mostrar mais do que compilações de imagens com meme faces e pornografia. [CNN]