Eu acabei de levantar o belo MacBook de 12″ com uma única mão, e parecia que eu não estava segurando nada – ele é muito leve. Isso é impressionante, mas há algumas coisas desagradáveis neste laptop. Vejamos os pontos positivos e negativos.

>>> MacBook de 12″ tem tela Retina, dispensa ventoinha e pesa apenas 900g

Tela

Sim, esta é uma tela Retina, a primeiro em um MacBook tão fino assim. E ela é linda mesmo. Fica difícil comunicar em fotos como as imagens se destacam – da mesma forma que é difícil demonstrar a tela 5K do iMac Retina usando uma câmera. As imagens aqui dão uma ideia vaga, mas não fazem jus ao que você vê em pessoa.

MacBook 12 - hands-on (4) MacBook 12 - hands-on (5)

A promessa é que a tela, por ser “Retina”, não permite notar os pixels mesmo que você esteja bem perto – e isso é verdade aqui. Por isso, e porque este laptop é fino e leve, ele parece mais agradável de usar para ver filmes e fotos na cama, por exemplo, em vez de usar um tablet.

Vale notar que a tela não é antirreflexo, o que pode dificultar sua visualização em ambientes muito iluminados. E claro, ela não é touchscreen – a Apple ainda não cedeu quanto a isso.

Chassi

MacBook 12 - hands-on (1)

O corpo deste laptop é supercompacto e surpreendentemente rígido. Estou muito feliz que a Apple decidiu não usar um painel de teclado (ele está presente no MacBook Air). O novo MacBook lembra muito mais um iPad do que um MacBook Air, e eu gosto disso. A dobradiça ainda só abre até o ângulo que você vê nas fotos, o que parece suficiente para usá-lo sem problemas no colo ou na mesa.

Eu pensei que um MacBook tão fino e leve não poderia ser tão resistente, mas eu o retorci um pouco e ele parece tão rígido quanto é de se esperar da linha Air. O alumínio flexiona um pouco, mas resiste bastante.

Touchpad

MacBook 12 - hands-on (13)

Eu curti muito o novo touchpad com sensores de força. É fácil pressioná-lo como os tradicionais botões de trackpad, e ele é muito inteligente. Em vez de copiar e colar texto quando você quer procurar um endereço ou adicionar eventos a um calendário, o OS X faz tudo automaticamente: basta selecionar o texto e pressionar o touchpad.

Você empurra a superfície com mais força – a sensibilidade é ajustável – para realizar uma ação em um texto simples na web ou até mesmo em um documento de texto.

MacBook 12 - hands-on (12)

Teclado

O teclado neste novo MacBook me faz querer chorar um pouco. Assim como o resto da máquina, ele é bem fino… mas quando se trata de teclados, fino é geralmente ruim.

MacBook 12 - hands-on (10)

A Apple se esforçou para criar um novo tipo de tecla para fazer um teclado assim funcionar bem, mas eu não gostei – e eu já testei muitos teclados de laptop.

Ele é preciso, que é diferente de confortável. Quando eu deliberadamente me forçava a digitar rapidamente e de leve no teclado, de forma a não esmagar as teclas, até que rolava. Eis um exemplo:

MacBook 12 - hands-on (9)

Quando você digita de leve, é possível ir mais rápido, o que poderia ser algo positivo… mas essas teclas são finas demais, e eu realmente não gostei delas, nem um pouco. Talvez seja questão de costume – eu me acostumei ao teclado do MacBook Air original, que era estranho para a época – mas a sensação foi muito estranha.

A única porta USB

MacBook 12 - hands-on (3)

O USB Type-C promete coisas incríveis: transferências de arquivo mais rápidas, carregamento de bateria, entre outros. Mas não me agrada a ideia de ter que levar adaptadores para todos os meus dispositivos: afinal, essa porta é incompatível até mesmo com pendrives USB atuais. E o adaptador é caro!

Pelo menos, ainda há uma entrada tradicional de 3,5 mm para fones de ouvido do outro lado para as suas músicas. Ela não morreu ainda.

MacBook 12 - hands-on (6)

Conclusão

Ao longo dos últimos sete anos, o MacBook Air evoluiu de um laptop pouco potente para se tornar um ultrafino confiável e portátil.

Seu sucessor, o novo MacBook, é um computador leve e muito bonito. Mas eu me pergunto se ele voltou a ser um laptop pouco prático, assim como o Air original. Veja só:

  • ele é mais caro que o Air – são US$ 1.300 nos EUA e R$ 8.500 aqui;
  • ele tem um processador Core M mais lento;
  • ele tem um teclado finíssimo, mas um pouco desconfortável;
  • ele exige um dongle para você usar dispositivos USB e saída de vídeo.

Talvez ele aponte para o futuro dos laptops, mas não agradou de primeira. O MacBook de 12″ deve deixar alguns compradores divididos; afinal, o MacBook Air continuará à venda.

MacBook 12 - hands-on (11)