A Motorola lançou nesta quinta-feira (31), em Berlim, o Moto X4, mais uma geração do smartphone que inaugurou os recursos de reconhecimento de voz da marca e trouxe as funções por gestos – basicamente, ele foi um divisor de águas para a companhia, tanto quanto o Moto G. Acontece que, desta vez, o smartphone não é o topo de linha da fabricante: o hardware passa a ser de celular intermediário. Por outro lado, a quarta geração da linha X tem uma construção um pouco diferente daquela a que estamos acostumados em smartphones Motorola e estreia a assistente pessoal Alexa, da Amazon – deixando o Google Assistante de escanteio (ele ainda está no smartphone, mas não é o padrão).

No estande da Lenovo na IFA, consegui colocar as mãos no Moto X4 e dar uma olhada de perto. O primeiro destaque dele é a construção de vidro na traseira, com aquela protuberância a que já estamos ficando acostumados (mas não satisfeitos). A diferença aqui é que a fabricante colocou uns detalhes holográficos ao redor do sensor da câmera, e, quando você olha, a sensação é de que está olhando para um relógio de pulso, cheio de marcações ao redor. Já na parte frontal, o visual é praticamente idêntico ao dos últimos lançamentos. O X4 também ganhou certificação IP68, de resistência a água e poeira.

Pegando o gancho da câmera, o sensor é duplo, com a principal delas com 12 megapixels e abertura f/2.0; a secundária, com 8 megapixels, tem lente grande angular de abertura f/2.2. O aparelho contará com os mesmos truques anunciados para o Moto Z2 Force e Moto G5S Plus, de desfoque de elementos da cena – algo que já está se tornando padrão nos smartphones com duas câmeras. A frontal tem 16 megapixels e abertura f/2.0. A Motorola indicou que a câmera fará mais do que tirar fotos: ela servirá também para dar informações sobre o mundo real: ao apontar para um local, o software perguntará se você quer saber mais e, a partir daí, indicará informações sobre pontos turísticos, entre outros (lembra bastante o que a Bixby, da Samsung, promete).

A companhia não revelou se esse recurso da câmera terá o dedo do Google Assistente ou da Alexa, da Amazon. É provável que seja do segundo. E então temos o grande porém do lançamento: a Alexa neste momento funciona melhor para os países falantes de língua inglesa, estando disponível em Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha. Além disso, o software da Amazon não tem suporte para o português neste momento, muito menos funciona no Brasil. A Alexa responderá comandos de voz mesmo se o smartphone estiver bloqueado, e com ela você pode fazer os mesmos tipos de perguntas que se faz para Siri, Bixby ou para o próprio Google Assistente: pesquisas, solicitação de informação, ajuste de lembretes ou controle de uma casa conectada, por exemplo. Como comentamos acima, a opção do Google ainda estará presente no aparelho, afinal ele é embutido no Android. De acordo com a Motorola, a Alexa deve aparecer em outros aparelhos no futuro. No entanto, no que diz respeito ao Brasil, é provável que demore para o recurso chegar.

O Moto X4 tem tela LTPS IPS de 5.2 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels e proteção Gorilla Glass. O processador é aquele que figura entre vários modelos intermediários, o Snapdragon 630 com oito núcleos de 2,2 GHz. Outras especificações incluem 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento interno (com entrada para microSD) e bateria de 3.000 mAh com carregamento rápido. Ele é fininho, tem 8mm e passa a sensação de ser bem compacto e leve. Sua pegada, pelo menos no estande, foi confortável.

O aparelho estará disponível na Europa a partir de setembro, onde custará 399 euros (R$ 1.500 em conversão direta). As cores são preto e prata (ou os nomes oficiais da Motorola, Super Black e Sterling Blue). Datas de lançamento e preços em outros mercados ainda não foram divulgados, mas a expectativa é que o modelo chegue no Brasil ainda neste ano.

O Gizmodo Brasil viajou para Berlim a convite da Philips.

Todas as imagens: Alessandro Junior/Gizmodo