Veremos em breve uma disputa entre Windows 8 e iPad entre tablets “premium”, que custam mais caro. Em níveis de preço menores, no entanto, o Android tem um potencial enorme em tablets, e o Nexus 7 é prova disso.

Mas parece que a Sony decidiu ir contra essa tendência anunciando seu novo Xperia Tablet S, que custa US$399 na versão mais barata (16GB). Bem, a Sony tentou diferenciá-lo de diversas maneiras para justificar a compra.

O tablet tem um design semelhante ao Tablet S, lançado só este ano no Brasil, que lembra uma revista dobrada. Desta vez, este design foi atenuado – a “dobra” ficou mais plana e menos chamativa – porém ainda continua diferente e único. Além disso, o Xperia Tablet S tem corpo de alumínio, que lhe dá um aspecto premium (o modelo anterior era de plástico).

A tela IPS de 9,4″ não tem resolução Retina – são os 1280×800 de sempre – mas tem ótimos ângulos de visão e cores vivas. A tela, assim como o tablet, é resistente à água: na IFA, a Sony colocou o tablet embaixo de um esguicho, que lança água sobre ele em intervalos periódicos. A tela não funciona quando está molhada, mas o tablet continua ligado – ei, interessante.

Com processador quad-core Tegra 3, o Xperia Tablet S roda Ice Cream Sandwich. E tudo rodou sem engasgos no meu teste rápido, mesmo com vários apps abertos.

O Android foi levemente personalizado pela Sony, só um pouquinho. Há o modo “Convidado”, que permite a você, dono do tablet, escolher quais apps poderão ser usados por outro usuário que não você. Na parte inferior da tela, você encontra um botão de mini-apps, que surgem por cima da interface, e que você pode mover livremente. Mas você só pode rodar um mini-app de cada vez: se abrir outro, o primeiro e fechado sem cerimônia. Ha opções de tomar nota, abrir um mini-navegador, recortar parte da tela etc. Poderia ser prático e útil.

Na parte inferior da tela, há outro botão; este ativa o controle de TVs e outros dispositivos com suporte a infravermelho. É uma função bem legal, presente desde o Tablet S, mas que agora permite ligar e controlar vários dispositivos – como TV e console de jogos – ao mesmo tempo, usando macros.

E, claro, há apps da Sony como Music Unlimited, Sony Reader e até Walkman – que vai pouco além de um app de música, “compilando automaticamente uma lista de músicas que seus amigos curtiram no Facebook”.

Mas eu não estava tão ansioso pelo tablet como eu estava por sua capa com teclado embutido. Esta poderia ser a melhor novidade do Xperia Tablet S. E, por enquanto, ele me deixou dividido. O teclado não poderia ter teclas “de verdade”, já que também e uma capa. Mas as teclas bastante planas mal tem feedback tátil, e estranho digitar com ele. Acho que a capa exige um teste mais detalhado, para saber se é questão de costume ou não.

Vale a pena comprar este tablet com Android a partir de US$399, mais o teclado/capa por US$99? Só um review poderia dizer isto com certeza, mas é difícil esquecer do Asus Transformer Prime, com hardware parecido, preço semelhante e teclado físico de verdade.

O Xperia Tablet S chega às lojas dos EUA esta semana.